segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

NAQUELE TEMPO – SETEMBRO DE 1964 – EPISÓDIO 85



No boletim “O Árbitro” nº 87 (Ano VIII), editado há 50 anos, os temas principais foram:
Décio de Freitas, Director do Boletim, face ao novo elenco que chegou à Comissão Central para dirigir os seus destinos, agradece à anterior administração os apoios recebidos desejando, aos novos, boas-vindas e que olhem a arbitragem como homens experientes e conhecedores, dado estarem ligados desde à muito ao sector. 
VISEU LEVA A EFEITO O 5º CURSO DE CANDIDATOS
Com algumas dificuldades financeiras chegou ao fim o curso que arregimentou 14 futuros Árbitros. No final das provas obrigatórias, e com a presença de dirigentes locais e da Comissão Central, foi servido um almoço onde foram proferidos discursos de circunstância, destacando-se a audição de uma gravação do ex-presidente da Central, Dr. Fernando Pimenta, com a intervenção que teve na última reunião com os Árbitros nacionais.
ENGº SOUSA LOUREIRO, NOVO TIMONEIRO, AFIRMA
“Servirei o melhor que souber, serei leal e sincero – tudo quanto prometo”. Estas foram as palavras destacadas do seu discurso na tomada de posse, em 11 de Setembro de 1964, dos novos dirigentes da arbitragem nacional (Ezequiel Cavaco, Eduardo Gouveia, Guilherme Santos Silva, António Rodrigues dos Santos, Luís Anacleto Pinto e Ivo de Araújo), que posaram na presença do Director-geral dos Desportos (Armando Elísio Morais Rocha),
Conforme a imagem certifica.
César D’Enchangue, jornalista do Barcelense, assina “O desporto e a nação”. “Os Fiscais de Linha”, da autoria de João Gomes. “Qual será a aplicação mais lógica?”, por Manuel Maria Amorim Ferreira da Costa. Barros de Araújo expressa “Os inconvenientes do conhecimento contrariado”.
1.O Árbitro algarvio Jacinto Cipriano Pereira e bracarense João Barbosa Rodrigues estão a cumprir serviço militar em África. 2.Está de luto por morte de sua mãe o lisboeta Joaquim Branco, assim como o vila-realense Álvaro Borges Cardão, por falecimento de uma sua filha. 3.Reinaldo Melquíades, que se retirou da actividade, está indigitado para integrar a futura Comissão Distrital de Angra do Heroísmo. 4.António Arnel Afonso de Castelo Branco foi transferido para Leiria; Manuel Morais, de Vila Real, para Santarém e Domingos Feliciano Moisés, de Leiria para Lisboa. 5.O lisboeta Júlio Alfacinha da Silva ausentou-se para França em busca de novos caminhos. 6. O dirigente algarvio Júlio Cartaxo está de parabéns pelo nascimento de seu filho. 7.O aveirense Manuel Maria Amorim Ferreira da Costa ofereceu três livros para a biblioteca. 8.Os ex-dirigentes da Central Fernando Pimenta e Luís Gaspar tiveram acidente de viação quando viajavam para Itália. 9.O angrense Gilberto da Silva Jarroca está no Continente a tratar assuntos de ordem profissional. 10.O portuense Aniceto Nogueira envia postal ilustrado da Alemanha. 11.Na festa dos Árbitros aveirenses a Comissão Central fez-se representar por Augusto Marques Bom. 12.Filipe Gameiro Pereira, delegado técnico da Comissão de Arbitragem da FIFA, tem agendada deslocação a Viseu para proferir algumas palestras. 13.A Comissão Distrital de Coimbra enviou o seu Relatório e Contas.
1.Os assinantes de “O Árbitro” são avisados para regularizarem os pagamentos até ao final do ano de 1964, correndo o risco de serem eliminados, logo deixarão de receber o boletim. 2.Filipe Gameiro Pereira, volta a colaborar com a revista, o que é uma mais-valia, dado o seu prestígio, valor e reconhecimento a nível internacional o que muito nos apraz registar e agradecer. 3.No dia 9 de Setembro de 1964, foi grande para a arbitragem de Portugal. Três trios dirigiram, no estrangeiro, as seguintes partidas: Em França, Saint Etiène-Le Chaux de Fonds, Aníbal de Oliveira (Lisboa), com João Calado (Santarém) e José Porfírio Silva (Aveiro). Em Espanha, Atlético Bilbao-OFK de Belgrado, Hermínio Soares (Lisboa), com Samuel Abreu (Santarém) e Mário Mendonça (Setúbal). Bétis de Sevilha-Stade Français, com Francisco Guerra (Porto), com Caetano Nogueira (Porto) e Renato Santos (Coimbra).
UM CURSO COM PIADAS OU PIADAS DUM CURSO
1.Numa prova de velocidade entre Árbitros, no número dos quais estava o Dr. Décio de Freitas, deparando-se uma chegada duvidosa. Intervenção do directo do boletim: “Tenho a impressão que ganhei por uma nariz”… 2.O Rogério Coelho, de Braga, apareceu com um bonito fato de treino azul, o que motivou a seguinte observação de um colega: “É a primeira vez que vejo um coelho de azul!”. Resposta de outro: “Parece que não conheces o dr. Coelho da Fonseca [belenenses assumido]. 3.O prof. Marques de Matos deu boleia a alguns Árbitros no seu automóvel. No assento de trás instalou-se o Inácio Tereso, de Setúbal, que não conhecia o autor do “Tratado Ilustrado das Leis do Futebol”. Como dentro do veículo estivesse dispersos alguns exemplares, o Tereso perguntou em voz alta: “Eh pá, quando é que este gajo publica o segundo volume?”. 4.Nada falhou no curso e nas esferas superiores, aquilo esteve bom [Augusto Marques Bom], não faltou alegria [João da Silva Fernandes Alegria, e tudo foi cor-de-rosa [Guido Gomes Rosa]. Apenas uma única vez foi preciso entrar pimenta [Fernando Augusto Henriques Pimenta]. Todos dirigentes da Comissão Central. 5.Realizava-se uma sessão no relvado do campo de treinos do Estádio Nacional. Um curioso abeirou-se e escutava a lição. A certa altura apareceu um outro intruso que estabeleceu com o primeiro o seguinte diálogo: - que malta é esta? – São Árbitros de futebol. – Ena pá, se eu tivesse uma metralhadora que grande razia eu fazia agora aqui! 6.Nem todos os Árbitros que frequentaram o curso apresentaram as suas moradas certas. Causou admiração quando apareceu um Guimarães [José Paulo] que é de Setúbal e um Braga [Júlio Braga Barros] de Leiria. 7.Paradoxos do curso: 7.1-Um Valente [Manuel Vaz Valente, de Beja] que não teve coragem de aparecer. 7.2-Um Graça [Henrique Graça, de Coimbra] sempre triste. 7.3-Um Guerra (Francisco Gonçalves Guerra, do Porto) pacífico. 7.4-Um Madeira [José Madeira da Rocha, de Évora] que não é Rocha. 7.5-Um Neto [Manuel Antunes Neto, de Lisboa] com cara de avô. 7.6-Um Salgado [José da Encarnação Salgado, de Setúbal] insosso. 8.Alguns colegas levaram de casa tabuleiros para transportarem a refeição para as mesas. Foi de facto uma pena não terem levado também a loiça! 9.O professor Tavares Júnior ministrava uma lição de ginástica e aproveitou para transmitir aos alunos o seguinte: - Meus senhores os exercícios que acabaram de fazer são de mobilização geral. Um dos presentes, prestes a ser licenciado, exclamou: - Ainda bem que eu já não tenho idade de ir à tropa! 10.No Vale do Jamor, com as suas matas frondosas que rodeia o INEF [Instituto Nacional de Educação Física, hoje Faculdade de Motricidade Humana], os Árbitros contribuíram para a vegetação, não faltando os campos [Joaquim Fernandes de Campos, de Lisboa] com os carvalhos [Edmundo de Carvalho e José Porfírio de Carvalho, ambos de Aveiro], pereiras [Fernando Pereira Martins, de Lisboa, Pedro Pereira dos Santos, do Porto e José Albano Pereira, de Viseu], oliveiras [Aníbal da Silva Oliveira, de Lisboa], nogueiras [Aniceto de Jesus Nogueira e Caetano José Nogueira, ambos do Porto]. Até havia tojeiras [Gervásio Pedroso Tojeira, de Leiria], silvas[Henrique Pena da Silva, de Lisboa, Manuel da Silva Teixeira, do Porto e Henrique Santos Pereira Silva, de Vila Real ] e cachos [Ilídio Cacho, de Lisboa].
O II CURSO DE APERFEIÇOAMENTO FOI UM ÊXITO!
Fazendo o balanço de tão importante acontecimento regista-se os pontos que mais contribuíram para o sucesso, destacando-se a qualidade dos prelectores assim como o cumprimento integral do programa delineado e conhecido antecipadamente por todos os participantes.
Eis a intervenção do espanhol Manuel Asensi Martin
FERNANDO PIMENTA DESPEDE-SE
O presidente da Comissão Central que foi substituído manifesta-se com uma carta dirigida ao Director-geral dos Desportos, dado não ter podido estar presente na tomada de posse do novo elenco.
O responsável por esta rubrica, esclarece o candidato do curso de 1963, promovido pela Comissão Distrital de Lisboa, Silvino da Silva Teixeira, que observa uma incorrecção no Guia Universal para uso dos Árbitros, edição da Federação Portuguesa de Futebol, Janeiro de 1964, Lei XII, onde se lê na página 15, o seguinte: “O jogador deve ser advertido quando: k) Infringir com persistência qualquer das leis do jogo; l) Mostrar, por palavras ou por atitudes, desacordo com qualquer decisão do Árbitro; m)Incorrer em comportamento incorrecto; Por qualquer destas três últimas infracções, além da advertência, será concedido à equipa adversária um pontapé livre directo, executado no local onde a infracção for cometida”. Ora, só uma arreliadora gralha poderia alterar o espírito da lei, uma vez que tais infracções são punidas com pontapé livre indirecto. Entretanto, David Costa informa inúmeros erros que (lamentavelmente) apareceram, dando a impressão que o texto não teve a revisão cuidada que se exigia…
NOTÍCIAS DE VILA REAL
1.Os formadores Henrique Silva, Barros de Araújo e Neto de Melo levaram a exame os instruendos António Augusto Martins Fraga, Carlos Alberto Teixeira Teles, Félix Ribeiro, José Moreira Paulo, José Pinto Branquinho e Manuel Lucindo da Silva Marta, tendo todos sido aprovados. Nas provas físicas de 80 e 1500 metros todos fizeram os mínimos regulamentares.
A SUBSCRIÇÃO A FAVOR DA FAMÍLIA DE MÁRIO COSTA
O movimento generalizou-se por todo o Portugal, com imensos colegas a manifestarem-se pois pretendem ajudar quem precisa, considerando que o valor arrecadado (4.091$60) poderá vir a aumentar.
1.A Comissão de Arbitragem da FIFA decidiu que sejam as Federações nacionais a escolher os Árbitros destinados a dirigir os encontros do próximo Campeonato do Mundo, esclarecendo que devem ser indicados os elementos de maior capacidade e experiência. Se a hierarquia verificar que os escolhidos não reunirem as condições indispensáveis, reservar-se-á o direito de nomear quem entender para os encontros subsequentes. 2.A mesma Comissão decidiu que os Árbitros devem ser avisados de que não devem fazer quaisquer declarações à Comunicação Social acerca dos jogos que tenham dirigido. Julga-se que esta determinação foi baseada em declarações públicas feitas por Árbitros europeus sobre incidentes que não eram da sua esfera de actuação.
1.Eduardo Gouveia, que tem este espaço, avisa que os Árbitros devem actuar com firmeza e rigor em partidas onde as escaramuças aparecem, com pugilismo à mistura, e que os juízes nada fazem… 2.Destaca os desempenhos dos Árbitros espanhóis nos jogos em que participam equipas portuguesas. 3.Regista-se que o jogador Lino, após ter sido expulso do terreno de jogo, considerou justa a decisão do juiz. 4.Alguns clubes colocam à entrada dos seus campos uma bandeja para recolha de moedas que ajudarão as despesas que fazem com os jogadores jovens. Há equipas de arbitragem que dão o exemplo, deixando alguns trocos logo quando entram nas instalações desportivas. 5.Deseja que a continuidade de boas actuações entre nós seja um motivo de satisfação a quem se dedica à causa.
Equipa da Comissão Distrital de Braga
José Ricardo Lourenço, originário de Barcelos em 1933. Comerciante. Iniciou-se na arbitragem em 1958. Indicado à Central em 1962/63.
José Torres e Rocha, natural de Braga. Torneiro Mecânico. Tem 30 anos. Fez exame em 1960 e indicados aos nacionais em 1962/63.
Aventino Ferreira, nasceu em Vila da Feira. Gerente industrial em Barcelos. Aprovado em 1958 e entrou para a Central em 1962/63.
Equipa da Comissão Distrital de Coimbra
Gilberto Gonçalves, oriundo de Coimbra (14.08.1932). Tipógrafo. Iniciou-se em 10.03.1956. É indicado à Central em 12.02.1961.
Henrique Graça, de Coimbra (17.11.1926). Empregado escritório. Começou em 22.03.1959 e no nacional em 20.05.1960.
Amadeu Breda, natural de Mortágua (17.02.1920). Guarda-fios. Fez exame em 17.03.1956. Passou ao nacional em 28.01.1962.
Equipa da Comissão Distrital de Portalegre
Fernando Garção dos Santos, tem 33 anos. Tecelão mecânico. Começou em 1959 e entrou para a Central em 1963/64.
José Pinto da Costa, 46 anos. Restaurador de antiguidades. Árbitro desde 1949. Passou aos nacionais em 1954.
Manuel Barbas Bagina, 44 anos. Tecelão mecânico. Principiou em 1950.
Equipa de arbitragem de Moçambique
Ferreira Coelho, Salvador Passos e Silva Abegão, que em Agosto dirigiram o XVI encontro entre as selecções da Beira e de Lourenço Marques.
O Árbitro da Comissão Distrital do Funchal, Romeu José Pimenta de Sousa (à direita), orienta a turma do Hotel Santa Isabel.
Comissão Distrital de Angra do Heroísmo: Henrique Brito do Rio (presidente), João Avelino de Sousa (tesoureiro) e Gilberto Silva Jarroca (secretário). 
Os prelectores estrangeiros que estiveram no II Curso de Aperfeiçoamento:
Luiz Laurin (Espanha), Francesco Francescon (Itália), Jeacomo Bertolio (Itália) e Manuel Asensi Martin (Espanha).

domingo, 31 de Agosto de 2014

JANTAR COM FRANCISCO PARRINHA E AMIGOS



Aproveitando a presença deste nosso camarada de percurso em Portugal – está a trabalhar em Angola – foi possível reunir um conjunto de boas vontades e promover um convívio que marcou a noite do dia 23 de Julho de 2014.
Com a saída para o estrangeiro de Francisco José Seca Parrinha (n. 29.07.1966), toda a família do Futsal sentiu a sua falta, deixando muitas saudades pela maneira muito peculiar de saber estar, quer na condução dos jogos, quer no relacionamento e postura com todos os intervenientes, o que foi uma grande perda para a arbitragem lisboeta e nacional.
Recorde-se que ostentou a insígnia de Árbitro internacional durante 9 anos (2003 a 2011), foi exemplar dirigente da APAF-Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e formador de excelência.
Neste encontro recebeu uma distinção do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa, assim como o seu grande amigo Paulo Teixeira.