sexta-feira, 31 de agosto de 2007

JORGE NUNES – UM PRESIDENTE…


Jorge Manuel Farinha Nunes, o Presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Castelo Branco tem merecido rasgados elogios de quem conhece o seu método de trabalho, baseado na simpatia, seriedade, credibilidade, objectividade e dinamismo.

Modesto, responsável, tolerante e compreensivo tem sabido elevar e projectar o nome do seu Distrito bem longe. Assim, até dá gosto trabalhar com ele, quer seja o excelente lote de filiados (Árbitros, Árbitros Assistentes e Observadores), liderado pelo Carlos Xistra – está na 1ª Categoria nacional – quer pelos seus pares no elenco directivo (Vítor Fernandes – meu bom e velho amigo – Vítor Agostinho, Alexandrino Robalo e Pedro Patrício).

Gosta de receber sempre bem os seus convidados. Recentemente, no convívio que encerrou as actividades do Conselho da época passada, estiveram presentes, entre outros, representantes de Santarém, Portalegre, Lisboa e de Cabo Verde (Amaro Rodrigues, ex-Presidente do CA da Federação), numa festa muito bonita e participativa. Na hora da distribuição de distinções, tive a honra de ser um dos galardoados, facto que muito me sensibilizou.

Jorge Nunes em anos anteriores já tinha acolhido e homenageado dirigentes de Angola (Jorge Mário Fernandes, Presidente do CA da Federação) e de São Tomé e Príncipe (Arlindo Carneiro, Director de Relações Internacionais). Um gentleman…

Para que se sinta o que de sensível é Jorge Nunes basta dizer que o próximo Curso de Candidatos a Árbitro, promovido pelo seu Conselho, o patrono escolhido é o decano dos Árbitros portugueses, o Mestre Joaquim Campos, quase a comemorar os seus 83 anos de idade!

Registo mais o seguinte: Aquando da minha iniciativa em assistir a jogos distritais, Jorge Nunes e Vítor Fernandes acompanharam-nos (a mim e ao Mestre Joaquim Campos) ao encontro Fundão-Águias do Moradal, realizado em 5 de Novembro último, dia em que o mau tempo imperou, com chuva forte e muito vento… Vimos o jogo debaixo de um autêntico vendaval.

Quanto a Castelo Branco, terra de gente simples e afável e que sinto imenso prazer de visitar, recordo os saudosos Carlos Ranito Xistra (excelso Dirigente) e José Gonçalves Farromba (cortês e prestável colaborador) que muito contribuíram para a minha formação. Destaco também os seus actuais Presidente de Direcção, Mário Minhós, e Secretário-Geral, Luciano d’Almeida, que encabeçam uma longa lista de outros meus Amigos albicastrenses que muito estimo.

A Jorge Nunes – de quem enalteço os seus dotes humanos e toda a disponibilidade para dirigir a arbitragem de Castelo Branco, o que tem feito superiormente – aos seus colegas de Conselho, aos Árbitros e Árbitros Assistentes seus pupilos, aqui fica o meu voto de que a época que agora vai iniciar-se seja profícua e com imensos êxitos pessoais e desportivos.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

ATLÉTICO-PINHALNOVENSE – 2ª DIVISÃO NACIONAL










No passado domingo (26.8.2007) iniciei a minha época de espectador aos jogos de futebol, como simples adepto da modalidade.

O encontro escolhido foi o correspondente à primeira jornada da segunda divisão nacional, entre as equipas principais do Atlético Clube de Portugal e Clube Desportivo Pinhalnovense que acabou como começou: 0-0. A equipa de arbitragem viajou do Algarve e foi constituída por Ivo Santos (Árbitro), Vítor Andrade e Sérgio Piscarreta (Auxiliares).

No lendário e bonito Estádio da Tapadinha, cuja vista para o Rio Tejo é deslumbrante, tive o privilégio de encontrar alguns amigos a quem saudei e com quem conversei, tais como o José Júlio (jogador já veterano, mas, nos seus tempos, muito irreverente e impetuoso, mas sempre leal e voluntarioso), Fernando Rodolfo (membro do Conselho de Disciplina da Associação de Futebol de Lisboa), Almeida Antunes (Presidente Adjunto do Atlético) e Joaquim Rebelo (do Sindicato dos Jogadores).

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

ELEIÇÕES – PARA QUE ESTES CASOS NÃO SE REPITAM…


Reproduzo o texto da mensagem que, em devido tempo (16 de Julho de 2007), enviei à

Exmª Senhora
Isabel Cidra
Chefe da Divisão de Informação e Atendimento da
Câmara Municipal de Lisboa

Com os meus respeitos venho apresentar junto de V. Exª as situações abaixo descritas, chamando a vossa melhor atenção no sentido de promover todas as iniciativas que achar por bem desenvolver para que, o que se passou, venha a ser suprimido em próximas eleições, pois não se compreende que, hoje (estamos em 2007), ainda se verifiquem estes casos na Capital de Portugal.

O subscritor, Alberto Helder Henrique dos Santos, nascido em 18 de Março de 1942, eleitor D-3, na Freguesia de Benfica, foi honrado com a nomeação de Presidente da Secção de Voto nº 21, sita na Escola 52, na rua Jorge Barradas.

1. Assim, no dia 11 de Julho (quarta-feira) dirigi-me à Junta de Freguesia de Benfica para levantar a necessária documentação e, como é meu hábito desde há muito, pois gosto de fazer tudo como deve ser, cumprindo até uma sugestão do Manual dos Membros das Mesas, que diz ser útil uma prévia reunião entre si, solicitei os contactos telefónicos dos restantes membros da Mesa, na expectativa de planearmos toda a nossa acção no dia da votação para que tudo viesse a correr com a mínima das falhas, tendo-me sido fornecido somente o telefone do Presidente-Suplente, com quem falei. A Junta de Benfica desconhecia os telemóveis dos restantes! Jamais pode continuar este género de omissão. Os elementos das Mesas devem falar antes do dia da eleição e não só no próprio dia. Na Mesa 21 dois dos seus membros estrearam-se nestas andanças...

2. No dia da eleição, compareci na referida Escola, pelas 06H45, e, como se sabe, a votação decorreu até às 19H00. Todos os 459 eleitores que exerceram o seu direito cívico na 21, foram de uma simpatia e cordialidade que importa registar. Nunca houve a mais pequena questiúncula, o mais pequeno problema. A nossa secção terminou os procedimentos seguintes às 19H30, altura em que me dirige à responsável da Junta de Freguesia na Escola para entregar a documentação identificada com 2 destinatários: Junta e Polícia. Logo ali, disse que não compreendia a razão de ter que esperar pelos senhores agentes da autoridade para lhes entregar a devida documentação. Recebi como resposta que teria de ser assim, etc., etc. Entretanto, os Presidentes das outras 5 Secções da Escola 52, também terminaram as suas tarefas e ali ficámos a aguardar pela chegada dos representantes da PSP. O tempo foi-se passando e as capacidades psíquicas e físicas daqueles que estavam a aguardar também já estavam a esgotar-se, depois de tantas e tantas horas de pé a atenderem os votantes. Mais tempo se passou e um dos Presidentes contactou o senhor Oficial de Dia da PSP que disse o serviço estar sobrecarregado, pois tinha de recolher de mais 8 (salvo erro) Freguesias a documentação para entregar em local apropriado. Mais telefonemas, mais informações desencontradas e contraditórias, ao ponto de que eu, já extremamente debilitado (sou doente oncológico e diabético), resolvi sair para minha casa com a documentação que teria de entregar à PSP, isto às 22H00 (vinte e duas horas...), ou seja, depois de 2 horas e meia de espera infrutífera, torturante e humilhante.

Particularmente, na minha qualidade de cidadão, entendo não ser merecedor do tratamento de que fui alvo, mas destaco muito especialmente a grande falta de respeito que todos os Presidentes das Mesas foram sujeitos. Não me importa de quem é a culpa, sei, isso sim, é que estas situações são facilmente erradicadas se houver planeamento, organização e vontade de servir a comunidade. Ser-se Presidente duma secção de voto é, afinal, um banal cargo que, conforme se pôde constatar, os responsáveis pelo processo eleitoral não têm o mais pequeno apreço, bem pelo contrário: demonstraram desprezo, ostracismo e abandono, classifico eu. Não se pode brincar com a saúde dos outros. Há que respeitar quem cumpre com as suas obrigações.

Resta dizer que, logo que cheguei a casa, dez minutos depois de ter saído da Escola, telefonei para a Junta de Freguesia de Benfica que entendeu a situação e providenciou junto da PSP que viesse ter comigo e levantasse a documentação, o que foi feito às 22H55.

Espero, pois, que V. Exª tire as suas ilações, promova as directivas necessárias para que o próximo acto eleitoral seja uma jornada de convivência democrática feliz para todos e que não venha a ser (só) para os Presidentes das Mesas um horrível fim de dia, com as consequências graves que acabei de enunciar.

Solicito e agradeço a sua estimada resposta.

Saudações

Alberto Helder

NOTA: Dei conhecimento desta comunicação às seguintes entidades: Partidos políticos com assento na Assembleia da República, Lusa-Agência de Notícias de Portugal, Polícia de Segurança Pública, Presidente da Assembleia da República, Comissão Nacional de Eleições, Direcção-Geral da Administração Interna (que substituiu o STAPE), Presidente da Junta de Freguesia de Benfica e a Secção de Benfica do Partido Socialista. Das quatro últimas entidades recebi amáveis respostas, dando conta que o assunto iria ser analisado no sentido de que, futuramente, tais anomalias não se viessem a repetir. A Chefe da Divisão de Informação e Atendimento da Câmara Municipal de Lisboa, também.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

CANAL HISTÓRIA


No passado domingo vi nesta estação televisiva o excelente documentário sobre as primeiras Enfermeiras-Paraquedistas portuguesas, cuja missão em África, foi classificada com a máxima relevância quer no aspecto profissional, quer no que se refere ao apoiar o moral das tropas.

Expressei felicitações à responsável por este trabalho de qualidade e rigor histórico que reporto de inédito, verdadeiro e grande relevo para memória futura.

Recordo que estive também a cumprir serviço militar obrigatório em África (São Tomé e Príncipe entre 1964 e 1966), mas mesmo assim considero os primeiros militares que seguiram para as três zonas onde se verificaram os massacres (Angola, Guiné-Bissau e Moçambique) uns autêntico heróis, pois desse género de guerra pouco ou nada sabiam, aliado ao desconhecimento do terreno e do ambiente hostil (selva) que os esperavam, dos seus perigos, das doenças, a saudade, o estar longe dos seus, enfim, um rol de factores adversos que, reforço, para os enfrentarem teriam que ser uns autênticos super-homens!

Contudo, as Enfermeiras-Paraquedistas deram um grande exemplo do que as mulheres Portuguesas transmitem em tempo de crise. Foi um gosto ver a minha Amiga Maria Ivone Reis, Enfermeira-Paraquedista.

Penso que outros programas sobre o tempo da guerra em África, poderão ser produzidos, aproveitando ainda a presença e as recordações daqueles que lá deixaram os melhores anos das suas vidas e que, felizmente, regressaram.

Reitero os parabéns ao Canal História, assim como a Luísa Carvalho e à sua equipa, que produziram esta reportagem.

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

INCUMPRIDORES (II)


Uma vez que no dia 23 de Agosto de 2007 (quinta-feira) voltei a tomar a iniciativa de contactar telefonicamente os que estão em falta para comigo e, considerando que até à presente data ainda não regularizaram os valores que me devem, transcrevo, a seguir, os textos das mensagens que lhes remeti.

Adianto, ainda, sem qualquer comentário, o seguinte:

Caso 1 - Já me enviaram o seu pedido de desculpas e, ao mesmo tempo, afirmam que vão reembolsar-me do valor que lhes adiantei.

Caso 2 - Nada responderam.

A saber:

CASO 1
Caro Amigo e Senhor
Carlos Pinto
Ilustre Secretário da
Comissão de Arbitragem da
Liga Portuguesa de Futebol Profissional
PORTO

De harmonia com o contacto telefónico que hoje efectuei - mais um - para saber quando é que sou reembolsado dos despesas que fiz a propósito de ter levado equipamentos para Cabo Verde e, decorridos que são 80 (oitenta dias) da data em que enviei a toda a documentação solicitada para o efeito - ver o texto que se junta -, ainda não fui recebedor do valor em questão, que se cifra em 245,60 (duzentos e quarenta e cinco euros e sessenta cêntimos), isto para além de nada me dizerem sobre o que se passa...

Aguardo, pois, que, conforme já o pedi várias vezes, a imediata regularização desta dívida. O referido valor deverá ser creditado na minha conta bancária que tem a seguinte referência: xxxx.xxxx.xxxxxxxxxx.xx.

Vou acatar que este assunto termine até ao próximo sábado, dia 25 de Agosto de 2007.

Aproveito para dar conta do meu desapontamento, da minha frustração e o meu desencanto face ao que se está a passar preocupado que estou em reaver o que me devem.

Se eu soubesse o que se iria passar com tudo isto teria pensado bem melhor em disponibilizar os meus préstimos.

Devo acrescentar que este problema de tentar reaver o que é meu, afecta-me sobremaneira, já que, ao não ter recebido qualquer informação quanto à desejada regularização, é uma postura inadmissível e altamente lesiva para comigo.

Por fim, espero que cumpram a vossa parte porque eu, como sabe, cumpri com a minha consciência, com os meus princípios e a paga que tenho é o que se está a verificar há 80 dias! Lamentável! Nunca pensei passar por esta situação: o ter que me esforçar para reaver o que é meu. Sou uma pessoa reformada e este (meu) dinheiro que me deve faz-me imensa falta.

Saudações

Alberto Helder

CASO 2
Exmº Senhor
João Paulo Oliva

Na sequência do meu contacto telefónico de hoje que tive com V. Exª para saber quando é que me são pagas as despesas com a minha deslocação no passado dia 26 de Junho ao Tribunal de Vila Franca de Xira, e, de harmonia com o vosso pedido - para que seja pormenorizado o valor total do que gastei -, venho apresentar a nova conta final, que substitui o meu primeiro pedido de 100,00 (cem euros). Assim, o valor em questão, cifra-se, agora, em 124,50 (cento e vinte e quatro euros e cinquenta cêntimos), conforme passo a descrever:

Deslocação da minha residência (rua Ary dos Santos-Lisboa) ao Tribunal de Vila Franca de Xira, sito na Praceta da Justiça e volta: 78 quilómetros a 0,30 = 23,40
Portagens: 2 x 0,55 = 1,10
Pesquisa, deslocações e fotocópia de 2 documentos importantes apresentados no Tribunal e entregues a V. Exª = 20,00
Telefonemas diversos = 5,00
Tempo dispendido com a prestação do testemunho: 3 horas, a 25,00 = 75,00
Total: 124,50.

Quanto aos documentos justificativos destas despesas devo dizer que não os possuo, pois como o seu pedido inicial foi feito a título pessoal e particular, sem que V. Exª me tivesse prestado qualquer orientação no sentido a que me obrigasse a apresentá-los posteriormente. Aliás, V. Exª nunca se interessou pelas despesas que eu viesse a ter.

Devido ao facto de hoje me ter dito que terá de contabilizar estas despesas na sua Empresa, verifico ser mais uma dificuldade que V. Exª está a colocar-me para protelar pagar a divida que tem para comigo.

Aguardo agora que, conforme afirmou hoje, pois logo que recebesse esta minha comunicação iria proceder à imediata regularização desta dívida. O referido valor deverá ser creditado na minha conta bancária que tem a seguinte referência: xxxx.xxxx.xxxxxxxxxx.xx.

Vou acatar que este assunto termine até ao próximo sábado, dia 25 de Agosto de 2007.

Aproveito para dar conta da minha frustração e o meu desencanto face ao que, desde a primeira hora que aguardo ser ressarcido do valor que me é devido, já que V. Exª não teve qualquer iniciativa para regularizar a situação. Eu é que tenho mostrado preocupação em reaver o que me deve.

Se eu soubesse o que iria passar com tudo isto teria pensado bem melhor em disponibilizar os meus préstimos, assim como daqueles que partilharam da actividade desportiva em vida com o saudoso Amigo e Senhor Viriato Graça Oliva.

Devo acrescentar que este problema de tentar reaver o que é meu, afecta-me sobremaneira, já que da sua parte considero ter recebido, depois do julgamento, uma postura inadmissível e altamente lesiva para comigo.

Por fim, espero que cumpra a sua parte porque eu, como sabe, cumpri com a minha consciência, com os meus princípios e a paga que tenho é o que se está a verificar há 58 dias! Lamentável! Nunca pensei passar por esta situação: o ter que me esforçar para reaver o que é meu. Sou uma pessoa reformada e este (meu) dinheiro que me deve faz-me imensa falta.

Saudações

Alberto Helder

domingo, 26 de agosto de 2007

FALECEU ALFREDO MURÇA


Era um dos nossos. Pertenceu e muito deu à comunidade do futebol.

Alfredo Murça, deixou-nos na passada sexta-feira após ter padecido de doença prolongada. O seu funeral é hoje, saindo de Ermesinde, para o cemitério da terra que o viu nascer (Costa de Caparica-Setúbal). Infelizmente sabemos bem, por experiência própria, o que é sofrer com aquele mal.

Tinha 59 anos (nasceu em 17 de Janeiro de 1948). Iniciou a sua carreira no clube da sua terra natal, os Pescadores, tendo, ainda, jogado pelo Belenenses, Porto e Vitória de Guimarães. Foi um dos mais prestigiados jogadores portugueses no seu posto de defesa. Envergou a camisola das quinas por 5 vezes. Ganhou diversos títulos.

Aos seus familiares apresento as minhas sentidas condolências, não só pela perda de um Homem, como também de um exemplar desportista que admirava.
Foto: Com a devida vénia do sítio O CROMO DOS CROMOS.

sábado, 25 de agosto de 2007

FOGOS, UM FLAGELO QUE NOS ATINGE








Para que possamos fazer ainda mais pela nossa floresta, aqui ficam alguns conselhos…

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

COMENDADOR JOSÉ TRINDADE


Tive o privilégio de ter sido convidado por este ilustre Amigo, há muitos anos radicado no Luxemburgo, para um almoço-convívio que ontem se efectuou e que reuniu cerca de quarenta bem dispostos seus amigos e conterrâneos na Fogueira (Sangalhos-Aveiro).

Para atingir o nível de que desfruta, quer pessoal, quer social, a vida de José Ferreira Trindade, hoje com 60 anos de idade, foi extremamente difícil. Toda ela se baseia na velha máxima: sangue, suor e lágrimas. Emigrou para o Luxemburgo em 1971. Aí, dedicou-se de tal maneira ao trabalho, que, passados alguns anos, conseguiu concretizar os seus objectivos. Teve sempre em mente que iria obter o melhor para os seus mais próximos e só o alcançou com a sua vontade férrea, voluntarismo, seriedade, persistência, solidariedade, espírito de sacrifício e dedicação.

Criou o CASA-Centro de Apoio Social e Associativo, entidade sem fins lucrativos, a qual, desde a data da sua fundação (30 de Março de 1980), tem servido de forma superior a comunidade portuguesa no Luxemburgo. Calcula-se que já usufruíram dos serviços do CASA mais de 64.000 portugueses. Actualmente a comunidade lusa deve andar à volta das 85.000 pessoas. O Luxemburgo, um pequeno país (geograficamente falando), mas muito grande a receber os portugueses que trabalham e prosperam, dignificando a sua terra natal.

O CASA promove acções de solidariedade e acompanhamento personalizado, tendo ultimamente dado apoio a reclusos, a deficientes e a outros grupos de pessoas carentes de cuidados específicos. Organiza, ainda, anualmente festivais de folclore, bailes, a festa de Natal, espectáculos musicais, piqueniques, provas de atletismo e presta consultas jurídicas. Uma obra meritória, a todos os níveis que deve servir de exemplo.

Por tudo o que tem feito em prol dos portugueses no Luxemburgo, o Governo da República Portuguesa outorgou-lhe a Comenda de Benemerência.

Ao Comendador e Amigo José Trindade, a sua esposa Dª Rosa Maria, a seus filhos Lúcia e Paulo, aos restantes familiares, especialmente a seu genro, Jaime e filho (Dani), aqui fica o meu agradecimento não só pela maneira como sempre me recebem, como também pela amizade que por mim nutrem, que me honra e retribuo. Bem-hajam!

NOTA: A Quinta das Bágeiras, onde decorreu o repasto, é dirigida pelo sr. Mário Sérgio Alves Nuno, pessoa simples e cortês, que sabe receber como poucos. Foi um prazer ouvi-lo durante a visita que o grupo fez às suas caves, pois explicou tudo ao pormenor e todos nós ficámos a saber como se faz bom vinho, bom espumante, boa aguardente (estamos sempre a aprender)…

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

PORTUGAL NO MUNDIAL SUB-17 (COREIA-2007)











Pois é verdade, o nosso país está representado ao mais alto nível, através da arbitragem, com o trio constituído por Olegário Benquerença (Leiria), José Cardinal e Bertino Miranda (ambos do Porto). Todos eles são internacionais e já actuaram no jogo Colômbia-Alemanha (3-3), realizado em 20/8/2007 em Cheonan. Espera-se que outros mais se lhe sigam até 9 de Setembro dia da grande final. Já agora, recorde-se que em 2001, o nosso Árbitro FIFA, Lucílio Baptista dirigiu em Trinidade e Tobago, o encontro que decidiu o título a favor da França, que defrontou a Nigéria e a quem lhe ganhou por 3-0.

Este é o momento de recordar que a representação da arbitragem portuguesa em fases finais dos campeonatos mundiais das equipas AA, é francamente positiva, senão vejamos: 1950-Brasil e 1954-Suiça, Vieira da Costa (Porto); 1958-Suécia e 1966-Inglaterra, Joaquim Campos (Lisboa); 1978-Argentina e 1982-Espanha, António Garrido (Leiria); 1986-México e 1990-Itália, Carlos Valente (Setúbal) e 1998-França e 2002-Coreia e Japão, Vítor Pereira (Lisboa).

Já a selecção de todos nós tem a presença nos seguintes eventos: 1966-Inglaterra, 1986-México, 2002-Coreia e Japão e 2006-Alemanha.

FOTOS (já obtidas na Coreia) – A partir da esquerda: Bertino, Olegário e Cardinal. Na segunda foto os elementos que actuaram no jogo Costa Rica-Togo (1-1), que se efectuou em 18/8/2007, na cidade de Suwon, onde Olegário foi o 4º Árbitro. Dirigiram o desafio os nossos irmãos brasileiros Sálvio Fagundes (Árbitro), Altemir Hausmann e Roberto Braatz (Assistentes) que também estão na fotografia. Felicidades para todos!

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

GUEORGUI IVANOV IVANOV – O NÚMERO UM!...




Este jovem búlgaro, de 25 anos, é o primeiro cidadão europeu que, ao abrigo do que está regulamentado em Portugal, inscreveu-se e frequentou com aproveitamento o curso de candidatos a Árbitro promovido pelo Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa, na época passada, cujo Patrono (já desaparecido) é sempre bem recordado: Joaquim Manuel Cabeça Gomes.

Ivanov, que chegou ao nosso país em 1999, para além de ser um comunicador nato, é educado, respeitador, sociável, inteligente, sério, solidário, organizado e, acima de tudo, está sempre motivado por aquilo que faz. Escreve, fala e lê fluentemente o português, espanhol, inglês e francês (e o búlgaro, claro está!). Não foram fáceis os seus primeiros tempos, pois para além de estudar também trabalhava, ora nas obras, ora a vender livros. Empregou-se numa grande empresa em Vilamoura, onde foi funcionário (eleito várias vezes o melhor do mês), e formador. Na Universidade que frequenta (Universidade Nova de Lisboa-Faculdade Ciências Sociais e Humanas), também dá a sua ajudinha na organização de livros e na criação da base de dados…

Graças à sua capacidade intelectual e o empenho em pretender prosperar na vida, depois de ter terminado o ensino secundário na Escola Laura Ayres (Quarteira-Algarve), com a média de 19 valores, entrou para UNL-FCSH, com a média de 19,3. No exame nacional de filosofia obteve 195 pontos. Foi-lhe atribuído o grau académico de MINOR em Filosofia geral.

Toca piano clássico, participou em várias Companhias Teatrais estudantis, adora música, literatura e o desporto. A arbitragem (seu pai foi Árbitro internacional de Voleibol) é um dos seus temas favoritos. Pretendeu inscrever-se num curso candidatos a Árbitro de futebol, isto em 2002, mas como a legislação não o permitia, face ao seu estatuto de estrangeiro, teve que aguardar até a Bulgária ser admitida na União Europeia, o que se verificou em 1 de Janeiro do presente ano.

Depois de ter estado na Holanda (em 2003/2004) na Haagse Hogeschool (Haia), ao abrigo do programa Sócrates-Erasmus da EU, na área da língua inglesa, terminou o semestre com a média de 9 valores (a escala holandesa vai de 0 a 10), foi licenciado em Ciências Políticas e Relações Internacionais na UNL-FCSH, com a média de 16,4 (Bom, com distinção). Hoje está a frequentar o curso de Direito, e a sua média é de 15 valores.

Profissionalmente é Técnico de Propriedade Industrial, num grande escritório de advogados em Lisboa e é o responsável pelos contactos com entidades situadas na Península Ibérica, na América Latina, na Europa de Leste e no Médio Oriente.

Em Novembro próximo espera vir a ser cidadão português, pois o seu processo de naturalização está a ser apreciado e em vias de conclusão.

Só me resta desejar ao Jorge (em português) que se sinta bem entre nós, que continue a valorizar-se e que seja um excelente Árbitro, pois gente com vontade, com dedicação e com um currículo desta dimensão é uma mais-valia para qualquer função, qualquer actividade, qualquer país. Seja bem-vindo!

FOTOS: Na equipa de Futsal do Núcleo de Árbitros de Futebol de Lisboa (é o terceiro da esquerda, em pé) e quando, no Jantar de Encerramento das Actividades do Conselho de Arbitragem da AFL (Maio 2007), recebia o diploma de Árbitro das mãos do sr. Artur Miranda, ex-dirigente do Freiria Sport Clube.

terça-feira, 21 de agosto de 2007

UMA DE FRESCURA...


Hoje terei de recordar que, quando estava em São Tomé e o calor apertava (a humidade também), bebia sempre uma fresquíssima água de coco verde, uma delícia, um prazer do outro mundo… experimentem!

Já viram o Tarzan que eu queria ser? Esta foto foi tirada numa das maravilhosas praias, em 1964, portanto já lá vão uns anitos… Ai que saudades, ai, ai…

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

CAMPANHA CÍVICA


A Junta de Freguesia do Socorro, sedeada no coração de Lisboa, está a levar a efeito uma iniciativa louvável a todos os níveis, com a chamada de atenção para um cartaz elucidativo e que irá estar afixado em tudo o que é sítio.

A Freguesia do Socorro, da qual sou originário, tem uma ligação muito próxima à causa do fado, a canção nacional portuguesa, dado que a Mouraria está inserida no seu espaço. Curiosamente a ordem alfabética das 53 Freguesias de Lisboa, coloca-a em último lugar, mas, no meu coração, claro está, é a primeira (a segunda é Benfica, onde moro há mais de 40 anos!). A Freguesia, na recente eleição autárquica, tinha 3.152 votantes inscritos.

Os autarcas da minha Freguesia pretendem, e bem, que a sua zona de intervenção fique o mais limpo possível, dado que é frequentada por muitos turistas nesta altura do ano, o que concordo em absoluto. Não será que todos nós, em Portugal e em todo o mundo, poderíamos fazer o mesmo?!

Ter como hábito primitivo lançar toda a espécie de lixo para o chão é um acto muito sujo, pois as papeleiras (que existem) estão lá para recolher o que já não presta. Não pretendo que quando se saia de casa se limpe os sapatos ao tapete (o contrário é o que toda gente faz normalmente, pois, pois, é a nossa casa…), mas deveríamos ser mais civilizados e proceder conscientemente sem afectar o meio ambiente, cada vez mais conspurcado por tão mal tratado que é.

E porque não dedicar mais atenção aos cuidados primários de higiene urbana?! Eu já pratico esta acção pública desde que me conheço. É simples, é barato e resulta, desde que entendamos valorizar a nossa conduta pessoal em benefício da comunidade da qual fazemos parte.

domingo, 19 de agosto de 2007

ALL STARS JOGARAM




Num destes últimos fins-de-semana de Julho o Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol – superiormente dirigido pelo Dr. Joaquim Evangelista – levou a efeito um torneio singular com equipas de vários países (Eslovénia, França, Holanda, Itália, Suiça e Portugal), todas elas constituídas por praticantes desempregados.

No último dia da competição estava eu tão bem a assistir a um dos jogos quando me convidaram para dirigir o desafio entre os All Stars e uma equipa de jornalistas. Disse logo que sim, pudera… Ir actuar com a fina-flor dos veteranos internacionais portugueses, tais como Emílio Peixe, Norton de Matos, Paulo Madeira, Alfredo Franque, entre outros jogadores de destaque!

Logo dois jovens Árbitros acederam a colaborar como auxiliares e foi o êxito esperado… Arranquei cá uma actuação, que surpreendeu tudo e todos, eu incluindo… Que maravilha!

Resta dar conta dos nomes dos colegas. Rogério Correia (o que está à esquerda e que só tem menos 50 anos do que eu) e o Pedro Neca. Auguro-lhes um excelente futuro na arbitragem portuguesa.

sábado, 18 de agosto de 2007

INCUMPRIDORES


O que vou descrever a seguir é uma situação que me afecta sobretudo.

Acontece que fui solicitado para prestar a minha colaboração em duas situações, diferentes e, como sempre, disponibilizei-me de imediato e a título gratuito, salvo as despesas que daí adviessem, o que foi o caso.

Assim, passo a relatar:

1º Caso – No dia 31 de Maio de 2007, por minha iniciativa, desloquei-me à ilha de Santiago (Cidade da Praia) e pediram-me que fosse portador de artigos desportivos para o Conselho de Arbitragem da Federação Cabo-Verdiana de Futebol, cuja encomenda pesava 36 quilos e foi entregue ao destinatário, que emitiu documento a confirmar a sua recepção. Logo quando regressei enviei todos os justificativos (despesas incluídas) ao mandante, o qual, até agora, nada, mas mesmo nada disse quando irá proceder à regularização do valor em questão, isto depois de imensos telefonemas e e-mails a reclamar a quantia que já paguei. Para além de ainda não ter regularizado a dívida, nada diz, nada adianta! Resta dizer que do peso referido, 16 quilos foram considerados na minha bagagem pessoal, isto é, a despesa refere-se somente a 20 quilos. Entretanto, já se passaram 74 dias!!!!

2º Caso – Também fui solicitado para depor judicialmente em abono de uma grande personalidade do mundo da arbitragem, o que fiz, deslocando-me propositadamente na minha viatura ao Tribunal de Vila Franca de Xira para o efeito, no dia 26 de Junho do presente ano. Também, telefonemas, SMS, e-mails e nada… Já lá vão 54 dias!!!!

Será que estes responsáveis não sabem que os valores que desembolsei efectivamente retirei-os do meu orçamento para satisfazer as suas necessidades e a recompensa que tenho é esta indiferença a que sou votado? Estou altamente frustrado com estes comportamentos. Nunca pensei que dando o meu melhor, tenha que andar a pedir o que me é devido, e que, com boa fé, adiantei do meu bolso…

Bem, se até ao dia 25 do presente mês não for ressarcido das despesas que efectuei, ou seja, receber o meu dinheiro, que, como se compreende, está a fazer-me imensa falta, afirmo que divulgarei aqui o nome dos faltosos e as diminutas quantias que me estão a dever…

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

MENSAGEM PARA TODOS E PARA TODAS DESPORTISTAS





























01. Se estás disposto a valorizar a arbitragem portuguesa.
02. Se te encontras com disposição, capacidade e disponibilidade.
03. Se pretendes exercer uma actividade aliciante e digna.
04. Se adoras o futebol e de trabalhar em equipa.
05. Se és justo, determinado, pontual e assíduo.
06. Se gostas de praticar actividade desportiva.
07. Se admiras todos aqueles que deram o máximo pela causa.
08. Se cultivas o convívio, a solidariedade e o fair-play.
09. Se ambicionas saber cada vez mais e melhor as leis do jogo.
10. Se queres conhecer gente especial
11. Se desejas alargar os teus conhecimentos.

Só terás de te inscreveres no Curso de Candidato a Árbitro, promovido pela Associação de Futebol de Lisboa ou de qualquer outra das 21 congéneres existentes em Portugal, de Norte a Sul, Madeira e Açores.

Deixa de criticar quem quer fazer o seu melhor.
Vem ter connosco que saberemos merecer a tua companhia.
Verás que ser-se Árbitro de Futebol é o máximo! Nada é igual.
Incentiva também os teus ou as tuas colegas a frequentar o próximo curso.
Esta é a única maneira que tens de contribuir para a melhoria da arbitragem portuguesa.

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

JOSÉ MANUEL PAIXÃO




O Homem da Águia, como é conhecido no mundo do futebol, para além da dedicada prestação ao seu clube de sempre – o Benfica – é uma pessoa excepcional, simples e humilde, de raro e fino carácter, com um coração imenso, cheio de bondade, tolerância, entrega e disponibilidade total para colaborar em acções de solidariedade, como sempre o tem feito com os jovens da ACREDITAR-Associação de Pais e Amigos das Crianças com Cancro.

Tenho a bem-aventurança de conhecer este alentejano, puro, amigo e dedicado, há algum tempo (desde 1998), altura que comecei a acompanhar as crianças da ACREDITAR a diversos Estádios de Portugal onde assistem aos jogos da Liga e contactam os seus ídolos, não só para tirarem fotos, como recolhem autógrafos, lancham e convivem de perto com as estrelas que muito aplaudem e admiram, o que é uma terapia importante para enfrentarem os graves problemas que a doença lhes causa. Um grande bem-haja a todos aqueles que proporcionam estes momentos de felicidade a quem carece de compreensão, carinho e solidariedade.

O tratador da dócil e encantadora GLÓRIA – assim se chama a águia – normalmente está no Estádio da Luz. Aí vai ter com os jovens que gostam muito de ver e fazer festas ao símbolo vivo do Benfica, mas, nos últimos anos, José Manuel Paixão, tem respondido a um outro nosso apelo para se deslocar propositada e graciosamente da sua terra natal (Beja) ao Monte Sobral (Alcáçovas), distam quase 70 quilómetros, para fazer felizes os meninos e meninas da ACREDITAR que, periodicamente, por lá estão a gozar uns dias de férias na esplêndida e tranquilizante planície alentejana.

José Manuel Paixão, com a sua meritória acção, contribui e de que maneira para a recuperação dos jovens da ACREDITAR. Há que seguir e copiar o seu belo exemplo!...

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

NÚCLEO DE ANTIGOS ÁRBITROS DE FUTEBOL


Sob os patrocínio duns quantos carolas – com o seu trabalho voluntário e empenhado – tem sido possível reunir anualmente, desde 1994, a elite da velha guarda da arbitragem portuguesa, internacional, nacional e distrital, assim como os seus familiares mais chegados e, como honrosa excepção, de alguns amigos que, gostando da arte, nunca foram seus intervenientes directos.

Em todos os encontros o convívio e as recordações são, naturalmente, os temas principais do primeiro domingo de Junho, data que já foi perpetuada para este maravilhoso acontecimento. Interessante divulgar que o Encontro dos Árbitros Jubilados já atingiu o estatuto de internacional, pela comparência frequente e espontânea de colegas dos países que têm a língua portuguesa como oficial, assim como já se contou com a presença de Governadores Civis e outras personalidades.

Como tem sido tradição a concentração dos participantes, oriundos dos diversos Distritos, efectua-se no Santuário de Fátima onde é celebrada missa em memória dos que já partiram. Segue-se o desejado almoço de confraternização servido numa unidade hoteleira dos arredores. O resto da tarde é preenchido com diversas acções (intervenções, diversões, leilões, etc.), sempre bem acolhidas e motivadoras para que o regresso a casa seja feito como deve ser, isto é: sempre pelo alcatrão, tranquilo (atenção aos limites de velocidade) e com final feliz (já a pensar no próximo encontro)!

Lamento não me ter sido possível comparecer ao evento deste ano, pois na mesma data encontrava-me na Cidade da Praia (Ilha de Santiago), onde assisti ao jogo da Selecção de Cabo Verde com a Argélia, a contar para o CAN (Campeonato Africano das Nações). Em 2008 lá estarei…

A actual Comissão Organizadora, constituída por Armando Paraty (Porto), Carlos Teles (Aveiro), Eduardo Sequeira (Porto), Garcia Neves (Setúbal), Henrique Santos (Braga), Horácio Rodrigues (Viseu), Mestre Joaquim Campos (Lisboa), Manuel Salgueiro (Coimbra), Mira Lagarto (Lisboa) e Vítor Almeida (Santarém), espera que, no próximo ano, a participação dos Árbitros jubilados seja massiva, apelando aos interessados que promovam esta iniciativa junto dos restantes companheiros e que se inscrevam na altura própria, mas, sobretudo, que nunca faltem à chamada!

Aqui se recorda os nomes dos Fundadores do Núcleo: Armando Paraty, Joaquim Campos, José Filipe (Faro), Manuel Lousada (Santarém) e Ramiro Santiago (Coimbra).

terça-feira, 14 de agosto de 2007

JOAQUIM DA SILVA MOREIRA


Este velho amigo deixou de colaborar com a arbitragem lisboeta e nacional, o que se lamenta, face às suas excelsas qualidades. Joaquim Moreira, modesto, simples e fraterno é um profissional de eleição (motorista) e está ao serviço de alta personalidade da Assembleia da República, logo sem tempo para exercer qualquer cargo na hierarquia desportiva portuguesa. Desempenhou, com brilho e competência, a função de membro da Comissão de Apoio Técnico do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa e, simultaneamente, Observador da 1ª categoria nacional, onde obteve sempre as primeiras classificações. Sem dúvida, um elemento de grande valor que prestigiava o sector. Face à manifesta indisponibilidade para a actividade de que tanto gostava, teve que optar. Perdeu-se também um grande formador, pois as suas invulgares características humanas, pedagógicas e técnicas eram, sem dúvida, uma mais-valia para a nossa causa. Contudo, não perdemos um Amigo! Refira-se que no passado dia 22 de Junho, todo o elenco da CAT e alguns directores do anterior Conselho de Arbitragem estiveram com ele num jantar restrito onde foram recordados com alegria e saudade os seus dotes e as imensas peripécias que se verificaram durante as mais três dezenas de anos que serviu a arbitragem.

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

ACTIVIDADES DO CONSELHO DE ARBITRAGEM DA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE LISBOA


No final de cada época o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa realiza a festa de encerramento das actividades, com programa desportivo e social. Quanto ao futsal organiza um torneio relâmpago com a participação dos Núcleos do Distrito e uma equipa extra (para fazer número), que representa o próprio Conselho. Neste ano voltámos a obter a mesma classificação dos anos anteriores: o último. Tenho dado o meu melhor. Em 2006, dos 12 inscritos fui o melhor marcador, pese embora tivéssemos perdido um dos jogos por 8-0, pois marquei um golo na própria baliza. Uma das condições para as equipas passarem à fase seguinte, quando houver empate, é a maior média de idades, logo eu, com os meus 65, sou uma mais-valia (ou talvez não?!). Este ano o meu slogan, como avançado, era o de que sou especialista em bolas paradas, bolas corridas e bolas de Berlim (ai os diabetes…). Fiquei em branco, mas prevejo que dentro de 5/6 anos, com mais alguns treinos, menos barriga, menos “castrol”, atinja o meu melhor pico de forma…O Núcleo de Torres Vedras repetiu o triunfo do ano anterior. Parabéns!

A parte social decorre num jantar com a entrega de diplomas aos novos Árbitros, e de troféus aos filiados que se distinguiram nas classificações e àqueles que passaram a jubilados. Uma bonita festa que reúne muitas dezenas de Árbitros, familiares e amigos.

Para a história aqui ficam os nomes dos jogadores do Conselho: 1º plano (a partir da esquerda): Carlos Carvalho, Alberto Helder, António Eustáquio, Antonino Silva e Ricardo Oliveira. De pé: Francisco Goulão, Rui Melo, Amaral Dias, Eugénio Carmo, Carlos Sales (Treinador) e Sérgio Guerreiro.

domingo, 12 de agosto de 2007

TRÊS AMIGOS, TRÊS DIRIGENTES...


Conhecemo-nos em 1964 em São Tomé e Príncipe, onde, durante dois anos, cumprimos o serviço militar obrigatório. A actividade desportiva era um dos nossos passatempos.

O Joaquim Xavier da Silva (à esquerda) pertencia ao Pelotão de Artilharia e estava no quartel do Aeroporto. O Vítor Manuel Silva Peralta, Polícia Militar, sedeado na Cidade de São Tomé e o Alberto Helder no Comando Militar, que se situava entre os dois aquartelamentos. De regresso a Portugal, em 1966, fizemos a viagem juntos, com mais cerca de 2.500 homens, no navio Niassa, cuja lotação máxima era de 300 passageiros… Só visto!

Hoje, todos os três estamos a exercer cargos desportivos: Xavier é director na Associação de Futebol de Lisboa (esteve ligado a clubes de Lisboa, tais como o Império, Vitória e o Olivais), o Peralta (afecto ao Operário) e está na Direcção da Federação Portuguesa de Futebol e eu no Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa. Passados que estão mais de 40 anos, continuamos a desenvolver a velha amizade e quando nos encontramos lá vem à baila os tempos de então. Ai que saudades, ai, ai…

sábado, 11 de agosto de 2007

CONDOLÊNCIAS




Expresso o meu profundo pesar pelo falecimento do Dr. Naief Saad Neto, membro do Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol (Brasil), onde desempenhou, desde 1990, os cargos de Auditor e, a partir de 2002 até à actualidade, foi seu Presidente.

Do seu extenso currículo destaca-se a actividade profissional sempre ligada à causa da segurança pública (Polícia Civil), tendo exercido cargos de chefia. Actualmente cumpria a titularidade da 2ª Delegacia Policial Seccional de São Paulo.

Recentemente recebeu o título de Presidente honorário da Federação Paulista de Futebol pelos relevantes serviços prestados ao futebol brasileiro.

O Magistrado Naief Saad Neto faleceu no passado dia 8 de Agosto (quarta-feira), vitimado por doença oncológica, tinha 53 anos e deixa a esposa Sónia e os filhos Ricardo e Maria Fernanda.


Nota: Foto Polícia Civil.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

MANUEL PIMENTEL


Ontem tive o privilégio de ter estado num demorado almoço convívio, como convidado, pelo Jorge Correia, Formador e Observador do quadro da FPF, com o Amigo comum Manuel Pimentel, do Lubango (Angola), do qual, com muito gosto, dou a conhecer alguma informação. A saber:

Manuel Pimentel, de 69 anos de idade (bem conservados, aliás), antigo Árbitro FIFA, um apaixonado e estudioso da arbitragem do futebol, está de visita a Portugal e tem procurado aproveitar o tempo contactando com quem, desde há muito, partilha conhecimentos, experiências e ideias válidas para o sector.

Em Fevereiro de 2000 esteve na Alemanha, em representação do seu país, a frequentar o primeiro curso de Instrutores de Árbitros, promovido pela FIFA, a nível mundial, tendo, a partir daí, exercido as funções de Prelector (para os países afro-lusófonos) e de Observador (Comissário), quer em Angola, quer em diversos jogos internacionais no continente africano.

Nesta sua permanência em Lisboa já lhe foi proporcionado um encontro com o Mestre Joaquim Campos e comigo. Depois de convivermos num almoço programado fizemos uma visita à APAF, à Associação de Futebol de Lisboa e ao seu Conselho de Arbitragem. Vai regressar, dentro de dias, ao Lubango (Capital da Huíla, uma das 18 províncias de Angola. Tem uma área de 75.002 Km2, e cerca de 800.000 habitantes).

Resta acrescentar que, quando eu estive em Março em Angola (ver currículo), Manuel Pimentel deslocou-se propositadamente a Luanda, que dista 1.015 quilómetros do Lubango, para me abraçar e felicitar pelo 65º aniversário, data que comemorei junto dos meus Amigos angolanos!

Notas: No almoço honrou-nos com a sua presença um colega do Jorge Correia, sr. António Parreira, um genuíno alentejano, da Vidigueira (Beja).
A foto foi obtida em Caldas Novas (Goiás-Brasil), aquando do XVII Congresso da Arbitragem Brasileira, que decorreu em Novembro de 2004.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

PRESIDÊNCIA DA COMISSÃO DE ARBITRAGEM DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL











O Dr. Edson Rezende de Oliveira (foto da esquerda), renunciou ao cargo que exercia como Presidente da Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol, sendo substituído por Sérgio Corrêa da Silva (foto da direita), que já desempenhava funções na referida Comissão, ocupando, agora, o lugar vago, como Presidente Interino.

Sérgio Corrêa da Silva é, sem dúvida alguma, uma das maiores personalidades da arbitragem Mundial. Todo o seu percurso desportivo e social é eloquente. A sua maneira peculiar como se dedica de alma e coração a um objectivo é fantástica. Desde sempre quer servir a arbitragem e bem!

O Presidente da Confederação Brasileira de Futebol sabe muito bem quem escolheu, face às provas inequívocas que Sérgio já tinha dado, desde os tempos do seu apego à ANAF-Associação Nacional dos Arbitros de Futebol e ao SAFESP-Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo.

Um pouco de história: Sérgio Corrêa é formado pela Federação Paulista de Futebol, na Escola de Árbitros Flávio Iazzetti, no ano de 1981/82. Promovido à condição de árbitro da primeira divisão em 1990, realizou 49 partidas até o ano de 1993. Foi eleito o Árbitro Revelação da Arbitragem Paulista em 1992 e, durante o período de 1989 a 2000, integrou a relação nacional (CBF). Durante os 20 anos de sua carreira, actuou em 638 partidas oficiais. Faz parte da Comissão de Arbitragem da CFB desde Fevereiro de 2006. A sua escolha pela CBF como chefe interino da arbitragem nacional serve, de certa forma, como redenção para a arbitragem paulista, que esteve sob suspeita a partir de 2005, ano em que foi descoberto um escândalo de manipulação de resultados com a participação de dois árbitros do quadro da Federação Paulista, que foram irradiados. Sérgio Corrêa, exerce, ainda, os cargos de Secretário-geral da Escola de Árbitros da Federação Paulista de Futebol e o de Presidente do SAFESP. Tem sido um lutador incansável na busca de melhorias para o sector. Já esteve em Portugal, onde assistiu ao Congresso da Arbitragem Portuguesa, realizado em Sintra, mas o seu grande objectivo foi o de ter lançado sementes para a criação da Confederação Mundial dos Árbitros de Futebol, que se espera venha a concretizar-se dentro em breve.

Apesar do pedido de demissão, o Dr. Edson Rezende de Oliveira, que assumiu o comando da Comissão de Arbitragem em Outubro de 2005, mereceu do Presidente da CBF, Ricardo Teixeira, os maiores encómios pelo trabalho desenvolvido, senão veja-se o Relatório da sua gerência, em cbfnews.uol.com.br/árbitros, donde se destaca, que, no decurso do seu mandato, procedeu-se ao sorteio de 10.266 Árbitros, a nomeação de mais 6.844 para actuarem nas séries A, B, C e Copa do Brasil!... Impressionante… Mais, ainda: São 208 os países inscritos na FIFA (mais do que na ONU!!!), e o Brasil lidera a lista dos Árbitros com a insígnia FIFA, com 38 dos seus melhores filiados…

Segue-se a correspondência que ontem enviei a ambos:

Caro Dr. Edson Rezende de Oliveira

Ao tomar conhecimento do seu pedido de escusa em continuar a dirigir os destinos da arbitragem brasileira, venho expressar o meu abraço de amizade, consideração e respeito por tudo aquilo que fez em prol dos seus filiados.

Sempre admirei V. Exª pela sua exemplar postura, inteligência e capacidade, dotes que só os grandes dirigentes possuem e que servem de exemplo a todos os desportistas, estejam ou não inseridos na comunidade do futebol.

O seu substituto, Sérgio Corrêa da Silva, outra personalidade que honra a arbitragem brasileira, pelas suas qualidades, pelo seu carácter, pelos seus conhecimentos, dignificará, como sempre o tem feito, o alto cargo que agora desempenha.

Caro Dr. desejo-lhe as maiores venturas na companhia dos seus mais queridos e espero continuar a ter o privilégio de ser seu Amigo.

Saudações

Alberto Helder

-----------------------

Caro Sérgio Corrêa da Silva

Aquele abraço de felicitações, agora com mais responsabilidade. Desejo que passe a Presidente efectivo, pelo seu currículo, empenho, dedicação e mérito.

Saudações

Alberto Helder

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

PASSAGEM DE TESTEMUNHO


O Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa que iniciou o mandato 2006/2008, por razões que desconheço, apresentou pedido de demissão colectivo em 5 de Junho último, não concluindo, por isso, a totalidade dos objectivos a que se propôs.

Na sequência, a Direcção da Associação de Futebol de Lisboa – fundada em 23 de Setembro de 1910, a mais antiga das 22 existentes em Portugal – convidou-me para integrar o novo elenco que já tomou posse e irá estar em funções até 31 de Dezembro do próximo ano.

Eis a sua composição: Presidente: Adriano Filipe. Vice-Presidentes: José Luís Vital e Alberto Helder. Vogais: José Padinha, José Ribeiro, Francisco Bernardes e Cardita Sobral.

Naturalmente que todos nós pretendemos dar o nosso melhor, contribuindo, assim, para a valorização, prestígio e dignificação da arbitragem lisboeta, aquém e além fronteiras. Contamos, claro está, com a preciosa colaboração, dedicação extrema e denodo empenho de todos aqueles que fazem parte da grande família do Futebol, tais como: Árbitros, Árbitros Assistentes, Observadores, Cronometristas, membros das Comissões de Apoio Técnico, profissionais do Conselho de Arbitragem e demais personalidades e entidades.

Quanto à equipa anterior – com quem colaborei na área de Formação – não deixo de referir o excelente relacionamento que sempre tive com todos os seus elementos, cujos nomes passo a mencionar. A saber: Emílio Fernandes (Presidente), Pais Mendes, Eugénio Carmo, Luciano Barata, Francisco Goulão, Domingos Azevedo e Ricardo Cotrim. Expresso-lhes, também, o agradecimento por me terem atribuído a mais sublime e destacada distinção desportiva que até hoje me foi conferida. Bem-hajam!

terça-feira, 7 de agosto de 2007

JOAQUIM BACUDA


Este meu nobre Amigo faleceu na sua terra natal no passado mês de Maio, vitimado por doença súbita. O coração traiu-o. Tínhamos a mesma idade.

Joaquim Bacuda, natural de São Tomé e Príncipe, foi uma figura que desde sempre admirei e respeitei. Conheci-o em 1964 quando fui cumprir serviço militar obrigatório naquela que era, então, uma colónia ultramarina portuguesa. Dotado de compleição física invejável, era um predestinado para a actividade desportiva. Defrontámo-nos diversas vezes em várias modalidades, sendo a principal o futebol. Sempre leal, lutador e humildade q.b., atributos que sempre o acompanharam pela vida fora, conforme pude constatar em 2002, quando, passados 36 anos, voltei a um país já livre de tutelas. Foi uma alegria enorme o nosso reencontro (vide foto). Antes de recordámos os bons momentos vividos, naturalmente que se soltaram lágrimas de saudade que só os Amigos sentem e exteriorizam nestas alturas…

Joaquim Bacuda, nos finais dos anos sessenta, ainda tentou a sua sorte em Lisboa, como jogador, no Sporting Clube de Portugal, mas não foi feliz, pois lesionaram-no num dos treinos e acabou o seu sonho de futebolista.

Joaquim Bacuda, será sempre recordado como um dos Homens que me marcaram positivamente. A sua simplicidade, a prontidão sempre presente em querer ajudar o próximo, fraterno e, acima de tudo, sério, íntegro e puro. São algumas das suas imensas virtudes.

Quero ainda agradecer o privilégio que o povo santomense me dispensou nos dois anos que lá passei como militar, pois fui sempre tratado com respeito, amizade e carinho.

A eles, especialmente ao Joaquim Bacuda, muito do que sou hoje lhes devo reconhecidamente.

Estou triste por ti, Bacuda!

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

O DESASTRE AÉREO DE CONGONHAS (SÃO PAULO-BRASIL)




A tragédia que afligiu o Brasil não passou ao lado.

Logo que se tomou conhecimento da sua dimensão, não deixei de expressar as mais sentidas e profundas condolências, primeiro aos meus inúmeros Amigos brasileiros que registaram e responderam consternados e, de seguida, ao Presidente da TAM.

Eis a correspondência trocada.

Mensagem remetida em 18 de Julho de 2007

Amigos
Perante tamanha tragédia ocorrida em São Paulo, que a todos nos afecta, venho expressar as mais sentidas condolências e, através de um forte abraço, manifestar a minha solidariedade ao povo brasileiro que estimo, respeito e considero como meu irmão.

Mensagem remetida em 19 de Julho de 2007

Exmº Senhor Marco António Bologna
Ilustre Presidente da TAM-Linhas Aéreas, SA
Perante a tamanha tragédia que a todos atingiu, venho manifestar os meus sentidos pêsames pela perda de tantas vidas humanas, nossos irmãos. Já estive no Brasil e tive o privilégio de viajar na TAM. Nas deslocações que fiz foi um gosto ter recebido as maiores deferências dos vossos colaboradores, altamente profissionais, sempre atentos e muito prestáveis, condições que dignifica a vossa Empresa. Lamenta-se o que se verificou, mas a TAM tem tido um comportamento digno de registo, quer nos comunicados que foi emitindo, como nas acções que encetou, sempre respeitando a condição humana, face à fatalidade que se registou. A muitos amigos brasileiros já expressei a minha total solidariedade e as mais profundas condolências de quem tanto ama o Brasil e o seu povo.
Aceite os meus respeitos e aquele abraço de apreço e consideração
Alberto Helder.

Resposta recebida em 20 de Julho de 2007

Prezado Sr. Alberto,
Agradecemos profundamente sua manifestação de solidariedade neste momento de luto para a família TAM. O apoio de Clientes e Amigos é de extrema importância para nós e ficamos à disposição como sempre.
Atenciosamente,
Marco Antonio Bologna
Presidente

------------

Nota: A foto foi obtida num dos aviões da TAM, quando sobrevoava São Paulo a caminho de Goiânia.

CARTÃO VERMELHO




Respondendo à amável solicitação de Christian Ducharme, responsável pelo sítio Cartão Vermelho (o primeiro sítio brasileiro especialista em arbitragem do Futebol), na foto com a Ana Paula Oliveira, Árbitra Assistente FIFA, dou conta que o meu primeiro trabalho (mensal) já foi divulgado e que pode ser visto em cartaovermelho.esp.br
Em Setembro haverá novo tema.

APRESENTAÇÃO E TRIBUTO



Valeu a pena!

A todos aqueles que contribuíram para a minha formação cívica e desportiva dedico-lhes toda a actividade que desenvolvi com rigor, responsabilidade e empenho.

A todos o meu bem-haja!

Eis o meu currículo desportivo:

(Actualizado em Outubro de 2016)

Alberto Helder Henrique dos Santos, filho de Viriato dos Santos e de Maria Ester Henrique dos Santos, nasceu em 18 de Março de 1942, na Freguesia do Socorro, em Lisboa.

Profissionalmente, exerceu o cargo de Chefe de Serviços na APAF-Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol.

Para além de ter sido Árbitro de Futebol e de Futsal, praticou, como amador, diversas modalidades desportivas, quer em Portugal, quer em São Tomé e Príncipe (aqui, de 1964 a 1966). A saber: Atletismo (provas de velocidade), Caça Submarina, Hóquei em Patins, Futebol, Futsal, Voleibol, Damas, Xadrez e Ténis de Mesa (nesta última modalidade frequentou, em 1976, o curso de candidatos a Árbitro, obtendo a classificação de APTO, mas não prosseguiu carreira).

É Sócio de Mérito da Associação de Futebol de Lisboa e da APAF-Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, conforme deliberações das suas Assembleias-Gerais de, respectivamente, 21 de Março de 1986 e 13 de Março de 1998.

Em 10 de Outubro de 1955 inscreveu-se como sócio do Sport Lisboa e Benfica tendo pedido a demissão em Julho de 1981. Foi recebedor do emblema de prata do clube, devido aos 25 anos de fidelidade associativa.

A APAF, em 12 de Maio de 1996, distingui-o com o Diploma de Reconhecimento.

O Núcleo de Veteranos do Clube de Futebol Estrela da Amadora, em 16 de Maio de 1999, está-lhe reconhecido pelo trabalho solidário desenvolvido em prol da ACREDITAR-Associação de Pais e Amigos das Crianças com Cancro.

Em 4 de Janeiro de 2001 o Núcleo de Confraternização dos Árbitros de Futebol do Barreiro expressa o seu reconhecimento, atribuindo-lhe placa alusiva.

No dia 21 de Maio de 2004 recebeu o Diploma de Amigo do SAFESP-Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo (Brasil).

Em 6 de Novembro de 2004 a ANAF-Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Brasil), outorga-lhe o Diploma de Amizade e Reconhecimento.

Em 7 de Novembro de 2004 o SAFEG-Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de Goiás (Brasil) agradece a sua presença no Encontro Nacional de Arbitragem, por si promovido, atribuindo-lhe placa alusiva.

No dia 18 de Março de 2005 o Presidente da Faculdade Assis Gurgacz (Cascavel-Paraná-Brasil) outorga-lhe uma monumental placa agradecendo a sua presença e ao excelente relacionamento que teve com docentes, funcionários e académicos.

Em 24 de Junho de 2006 o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa atribuiu-lhe o Galardão de MÉRITO E PRESTÍGIO, distinção anteriormente concedida aos Mestres Adelino Antunes (2002), Nemésio Castro (2004) e Joaquim Campos (2005).

No dia 10 de Dezembro de 2006 a Direcção e o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol da Horta atribuem-lhe uma honrosa distinção.

Em 17 de Dezembro de 2006 a Direcção do Núcleo de Árbitros de Futebol de Angra do Heroísmo, homenageou-o com a atribuição de salva de prata.

No dia 17 de Fevereiro de 2007 o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Beja, no decorrer do curso de avaliação aos seus filiados, prestou-lhe uma simples mas sentida homenagem pública conferindo-lhe um troféu artístico e original.

No dia 30 de Junho de 2007, o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Castelo Branco, na cerimónia de encerramento das actividades, prestou-lhe uma singela mas sentida homenagem, atribuindo-lhe troféu alusivo.

Em 28 de Março de 2008, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, a ANAF-Associação Nacional dos Árbitros de Futebol e o SAFERGS-Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado do Rio Grande do Sul, na abertura do Congresso da Arbitragem brasileira, tributam-lhe uma homenagem com a entrega de placa alusiva, donde se destaca o facto de ser o grande parceiro da Arbitragem Brasileira.

Em 23 de Março de 2009 a APAF-Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, no ano em que comemora o XXX aniversário da sua fundação, distingui-o como Patrono do VII Torneio Inter-Núcleos de Futsal.

Em 27 de Março de 2009, em Teresina, Piauí, Brasil, volta a ANAF-Associação Nacional dos Árbitros de Futebol a distingui-lo com uma placa alusiva a quem sempre contribuiu para o engrandecimento da categoria dos Árbitros de futebol brasileiros.

Também o SINDAF/PI-Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de Piauí presta-lhe homenagem com a entrega de troféu especial.

Em 26 de Outubro de 2015, depois de ser ameaçado de agressão pelo Presidente do Conselho Deontológico e Disciplinar da APAF-Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, por motivo fútil e mesquinho, resolveu afastar-se totalmente do sector, onde esteve ligado largas dezenas de anos. 


ACTIVIDADE COMO ÁRBITRO DE FUTEBOL

A nível distrital

Frequentou, com aproveitamento, o Curso de Candidatos, promovido pelo Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa, cujo exame se realizou em 7 de Maio de 1973. Foi promovido à 2ª Categoria Distrital em 1 de Agosto de 1976 e à primeira em 1 de Agosto de 1978.

1ª Fase (percorrendo a escala de então: Estagiário, 3ª, 2ª e 1ª categorias distritais)

Primeiro Jogo: 12 de Novembro de 1972 – Ponterrolense-Livramento, Honra, II Divisão, como Árbitro Assistente.
Último Jogo: 12 de Junho de 1983 – Estrela da Amadora-Casa Pia, Juniores A, como Árbitro.

Na época 1980/1981, obteve o 1º lugar na classificação dos Árbitros da primeira categoria do Conselho de Arbitragem da A. F. de Lisboa.
2ª Fase (Árbitro Veterano, entre os 46 e 48 anos de idade)

Primeiro Jogo: 7 de Fevereiro de 1988 – Algueirão-Fontaínhas, Juvenis, como Árbitro.
Último Jogo: 8 de Abril de 1990 – Oeiras-Alcabideche, Iniciados, como Árbitro Assistente.

A nível nacional

Fez parte dos quadros da terceira categoria nacional, na época de 1983/1984.

Participação em finais a nível distrital

05.07.75 Lisboa-União, em Amadores, como Árbitro
29.07.78 Imparcial-Rio de Janeiro, em Amadores, como Árbitro
08.06.80 Os Monteleverenses-Vialonga, Honra, II Divisão, como Árbitro Assistente.
30.08.80 Sacavenense-Estrela da Amadora, Honra, II Divisão Nacional, como Árbitro.
22.05.82 Futebol Benfica-Alhandra, Juniores A, como Árbitro Assistente.
11.06.88 Os Belenenses-Cultural, Infantis, como Árbitro Assistente.

Actuações

No conjunto das duas fases, participou em 855 jogos associativos, sendo 364 como Árbitro e 491 como Árbitro Assistente.

Destaque-se que, na época 1974/75, actuou em 44 jogos da categoria de Amadores.

A nível do INATEL-Instituto Nacional de Aproveitamento dos Tempos Livres dos Trabalhadores

Como filiado na Comissão Central de Árbitros deste Organismo, participou, de 21 de Novembro de 1970 a 7 de Junho de 1992, ininterruptamente, em 1.168 jogos de seniores, sendo 445 como Árbitro e 723 como Árbitro Assistente, dentre os quais dirigiu 11 finais (5 Nacionais e 6 Distritais).

Em 11 de Junho de 1986, no Estádio Nacional, arbitrou o jogo internacional França-Itália (0-0), organizado pela CSIT (Confédération Sportive Internationale du Travail). Dois dias antes actuou como Árbitro Assistente no encontro entre as selecções de Israel e França (1-3).

A nível de jogos não oficiais (particulares)
:

Actuou, como Árbitro em 123 encontros e como Assistente em 114, num total de 237 desafios.

Neste grupo teve a honra de ter participado no I Torneio Internacional de Futebol Infantil, organizado pelo CAC-Clube Atlético e Cultural (Pontinha) actuando como Assistente no jogo entre a Selecção de Lisboa e o clube Organizador (3-0), realizado no dia 12 de Abril de 1981, no campo da Escola Agrícola da Paiã.

Resumo: Num total de 2.260 jogos, exerceu a função de Árbitro por 932 vezes (41,2%) e de Árbitro Assistente, 1.328 (58,8%).

ACTIVIDADE COMO OBSERVADOR DE ÁRBITROS

Exerceu somente a função distrital, entre 1984 e 1995.

ACTIVIDADE COMO FORMADOR

Frequentou, com proveito, os Cursos de Monitor, promovidos pela Federação Portuguesa de Futebol em 21 de Maio de 1984, assim como o de 1989. Com igual rendimento, também participou nos diversos Cursos de Actualização de Monitores, organizados pelo Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa.

Colaborou activamente nos seguintes Cursos de Candidatos realizados em Lisboa, nas épocas que se indicam e que tiveram os seguintes patronos:

1979/1980 – Octávio Ribeiro da Costa (Antigo Árbitro nacional)
1981/1982 – Américo Santos Barradas (Antigo Árbitro Internacional)
1982/1983 – Inatel-Instituto para o Aproveitamento dos Tempos Livres dos Trabalhadores
1984/1985 – Mário Ribeiro (Antigo Árbitro nacional)
1985/1986 – Bodas Diamante da Associação de Futebol de Lisboa
1986/1987 – Jorge Vieira (Primeiro Árbitro Internacional português)
1987/1988 – Francisco Guerra (Antigo Árbitro Internacional)
1987/1988 – Aníbal de Oliveira (Antigo Árbitro Internacional)
1987/1988 – Raul Martins (Antigo Árbitro Internacional)
1988/1989 – Comunicação Social
1989/1990 – Filipe Gameiro Pereira (Antigo Dirigente da Arbitragem)
1990/1991 – Manuel Marques (Antigo Massagista da Selecção Nacional)
1991/1992 – Brig. Joaquim Rodrigues de Carvalho (Antigo Presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa)
1992/1993 – Eusébio da Silva Ferreira (Antigo Jogador internacional)
1993/1994 – Vítor Santos (Director do jornal A Bola)
1994/1995 – Vítor Paulos Correia (Presidente do C.A. da A.F. Lisboa)
1995/1996 – Adelino de Freitas Antunes (Antigo Árbitro Internacional)
2006/2007 – Joaquim Manuel Cabeça Gomes (Antigo Árbitro Distrital)

Nota 1 – Como se verifica foi Formador de um vasto número de Árbitros lisboetas. Numa amostragem efectuada na época 2001/2002, alguns dos seus Formandos estavam distribuídos pelos seguintes quadros nacionais:

ÁRBITROS

1ª Categoria 5 (Dois deles internacionais: VÍTOR Manuel de Melo PEREIRA e DUARTE Nuno Pereira GOMES)
2ª Categoria 6
3ª Categoria 11
Feminino 3

ÁRBITROS ASSISTENTES
1ª Categoria 11
2ª Categoria 5

ÁRBITROS DE FUTSAL
1ª Categoria 9 (Sendo um deles internacional: GUSTAVO Manuel Rodrigues de SOUSA)
2ª Categoria 7
3ª Categoria 2

Nota 2 – No ano de 2003 um dos seus formandos (PEDRO PROENÇA Oliveira Alves Garcia, Árbitro F.11) também atingiu a internacionalização.

Nota 3 – No ano de 2005, mais um dos seus discípulos no Futebol de 11, JOÃO CARLOS Azevedo António ALMEIDA, obteve a insígnia FIFA, como Árbitro de Futebol de Praia

Nota 4 – No ano de 2006, mais um dos seus formandos chegou aos quadros da FIFA: José TIAGO Garcias Bolinhas TRIGO (Árbitro Assistente).

Nota 5 - No ano de 2012, mais um dos seus formandos chegou aos quadros da FIFA: PEDRO Alexandre Batista GARCIA (Árbitro Assistente).

Nota 6 - No ano de 2013, mais um dos seus formandos chegou aos quadros da FIFA: HUGO Filipe Ferreira Campos Moreira MIGUEL (Árbitro F.11)                                                                                                         




Nota 7 - No ano de 2015, mai um dos seus formandos Luís ANDRÉ Ferreira Pinto CAMPOS (árbitro Assistente) atingiu a internacionalização

Nota 8 – Na época 1988/89 (na primeira e única vez que o fez), foi o preparador técnico do então estagiário sr. Paulo Jorge Carmo Barata, o qual conseguiu o primeiro lugar da prova Árbitro Jovem, disputada a nível nacional, entre os Conselhos de Arbitragem das 22 Associações Distritais de Futebol, proporcionando para o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa, e pela primeira vez, o título em discussão.

Em 1997 (de 16 de Junho a 5 de Julho) foi o Prelector das Leis do Jogo no Curso de Treinadores de Futebol (IV Nível), realizado em Lisboa, promovido pela Federação Portuguesa de Futebol e pela Associação Nacional dos Treinadores de Futebol.

Na época 1997/1998 o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa homenageou-o, dando o seu nome, como Patrono, ao Curso de Candidatos que levou a efeito. Em 17 de Setembro de 2006, teve a oportunidade de assistir, em Óbidos, à estreia da sua pupila Ana Raquel Brochado – a primeira mulher a ingressar na 3ª categoria nacional – a qual dirigiu o jogo da 3ª divisão nacional, entre as equipas do Bombarralense e Monsanto. Resta dizer que a Ana Raquel no curso em referência foi a 1ª classificada, em compita com 52 outros candidatos (homens e mulheres).

Frequentou, em Fevereiro de 2001, o Curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores, promovido pela Federação Portuguesa de Futebol com o apoio do Centro Nacional de Formação de Formadores (IEFP), na Modalidade de Formação de Formadores, na Área de Formação: Educação/Formação, obtendo a classificação de Muito Bom. Nota: Ao fazer parte deste grupo de trabalho, cujos membros foram aprovados na totalidade, possibilitou que a Federação Portuguesa de Futebol obtivesse o estatuto e certificado oficial de entidade formadora.

Participou em acções de actualização dos Árbitros da Federação Santomense de Futebol, na República Democrática de São Tomé e Príncipe, de 26 a 29 de Março de 2002.

Em Junho de 2011, dezasseis anos após ter terminado a sua actividade na formação, três dos seus pupilos (Pedro Proença, Duarte Gomes e Hugo Miguel), classificaram-se nos 5 primeiros lugares da tabela classificativa dos 25 Árbitros da primeira categoria nacional. Resta dizer que Lisboa teve, na época 2010/2011, cinco Árbitros naquela classe e só dois deles (Helder Malheiro e João Capela), não foram seus formandos, pois iniciaram-se na função depois de 1995.

ACTIVIDADE COMO CONGRESSISTA, PALESTRANTE E CRONISTA

Participou nos seguintes eventos:

1. Em 27, 28 e 29 de Julho de 1984, no II Congresso do Futebol, promovido pela Federação Portuguesa de Futebol (Lisboa).

2. Nos dias 10 e 11 de Junho de 1988, no I Congresso da Arbitragem Portuguesa, organizado pela APAF (Lisboa).

3. Presente em 25 e 26 de Abril de 1997, no IV Congresso do Futebol, da FPF (Vilamoura-Algarve).

4. Participa, nos dias 12 e 13 de Março de 1999, em Lisboa, no Seminário A Formação do Árbitro e do Juiz no Desporto, promovido pelo Centro de Estudos e Formação Desportiva.

5. Em 5, 6 e 7 de Novembro de 2004, participou, em Caldas Novas (Goiás-Brasil), no XVII Congresso das Entidades da Arbitragem Brasileira.

6. Nos dias 12 e 17 de Março de 2005, participou, em Cascavel (Paraná-Brasil), na Faculdade Assis Gurgacz, em Conferências relacionadas com a Organização da Arbitragem do Futebol Português. Nesta oportunidade visitou o Puerto de Foz de Iguazú (Argentina) e a Cidade del Este (Paraguay).

7. Em 30 de Abril de 2005, na sede da Liga Portuguesa de Futebol no Luxemburgo, participou em sessão de esclarecimento destinada aos seus Árbitros.

8. Assistente das I Jornadas de Fiscalidade e Contabilidade, promovidas pela Federação Portuguesa de Futebol, em 9 de Novembro de 2005 (Fátima).

9. Participou no I Congresso do Futebol Distrital, levado a efeito pela Associação de Futebol de Leiria, em 12 de Novembro de 2005.

10. Participou, de forma activa, no I Congresso Internacional de Árbitros de Futebol, organizado pelo Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo (Brasil), nos dias 5 a 8 de Janeiro de 2006.

11. Em 20 de Maio de 2006, participou, como orador, nas II Jornadas de Formação da Guarda, promovidas pela Associação de Futebol local.

12. Nos dias 8, 9 e 10 de Março de 2007, a convite do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol da Guarda, participou, em Vila Nova de Foz Côa, Gouveia e na sede do Distrito, numa acção de formação para com os seus filiados, tendo abordado o tema da sua especialidade: a Ética, Deontologia e Ciências Comportamentais do Árbitro.

13. No dia 21 de Março de 2007, proferiu, em Luanda (Angola), palestra com o tema da sua preferência, perante os Árbitros, Árbitros Assistentes, Comissários e Dirigentes da Federação Angolana de Futebol.

14. No dia 1 de Junho de 2007, proferiu, na Cidade da Praia (Cabo Verde) palestra com o tema da sua preferência, perante os Árbitros, Árbitros Assistentes, Comissários e Dirigentes da Federação Cabo Verdiana de Futebol.

15. Inicia em Agosto de 2007 colaboração mensal e gratuita para o sítio cartaovermelho.es.br o primeiro especialista em arbitragem do futebol no Brasil.

16. No dia 17 de Novembro de 2007 profere palestra aos Árbitros da Guiné-Bissau, subordinada ao tema Ética, Deontologia e Ciências Comportamentais do Árbitro de Futebol.

17. Ainda na Guiné-Bissau, em 18 de Novembro de 2007, participa no Colóquio com os restantes agentes desportivos locais sobre a figura do Árbitro e o seu relacionamento com os restantes intervenientes directos no jogo de futebol.

18. Em 8 de Fevereiro de 2008 participou e interveio no Fórum Nacional do Futebol, realizado em Santarém.

19. No XXVII Congresso da Arbitragem Brasileira, realizado em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, de 28 a 30 de Março de 2008, profere palestra sobre diversos temas actuais perante os representantes dos Árbitros de 26 Estados da República Federativa do Brasil.

20. No XXVIII Congresso da Arbitragem Brasileira, realizado em Teresina (Piauí), no dia 27 de Março de 2009, desenvolveu para os participantes a palestra subordinada ao tema: Formação é preciso!

21. No I Congresso Internacional de Arbitragem, evento levado a efeito pela APAF-Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, nas Caldas da Rainha, em 21 e 22 de Novembro de 2009, assessorou a Comissão Organizadora.

22. Assistiu no Rio de Janeiro ao VI Footecon, que se realizou em 8 e 9 de Dezembro de 2009.

23. Esteve na Granja do Comary (Teresopólis-Rio de Janeiro), em Maio de 2010, nos dias 17 a 21, a assistir ao Curso Futuro III, promovido pela FIFA e destinado a formar Instrutores de Árbitros para as vinte e sete Federações brasileiras. Recebeu certificado emitido pela FIFA.

24. No dia 22 de Maio de 2010, em Fortaleza (Brasil) esteve presente na Assembleia-geral da ANAF-Associação Nacional de Árbitros de Futebol, que tratou do processo eleitoral.

25. Marcou presença no VII Footecon, em 7 e 8 de Dezembro de 2010, no Rio de Janeiro.

26. A convite da Junta de Freguesia de Carnide colabora, como prelector, no Curso para Dirigentes Desportivos, dissertando sobre Comunicação e Liderança.

27. Em 10.11.2011, em São Tomé e Príncipe, participa em Colóquio com os Árbitros locais.

28. Ainda em São Tomé e Príncipe e no dia 14.11.2011, proferiu palestra para Dirigentes, Treinadores, Jogadores e adeptos do desporto-rei.

29. Em São Paulo (Brasil) assiste, em 5 de Dezembro de 2011, à Gala da CBF-Confederação Brasileira de Futebol, cerimónia que distinguiu os melhores do Brasileirão, incluindo os Árbitros.

30. No dia 8 de Dezembro, visita no Rio de Janeiro a Footecon-2011.

31. Esteve presente no XXXI Congresso da Arbitragem Brasileira, realizado em São Paulo, durante os dias 9 e 10 de Novembro de 2012, também em representação da APAF.

32. De 5 a 11 de Novembro de 2013 participou no XXXIII Congresso da Arbitragem Brasileira, realizado em Belém (Pará), proferindo palestra sobre a "Profissionalização" da classe na Europa.



33. Participou no XXXVI Congresso da Arbitragem Brasileira, levado a efeito em Salvador (Baía), nos dias 28, 29 e 30 de Novembro de 2014.

34. Esteve com os Árbitros e Árbitros Assistentes filiados na Comissão de Arbitragem da Associação Regional de Futebol da Ilha do Sal a quem, nos dias 20 e 21 de Janeiro de 2015, transmitiu os seus saberes e experiências em duas sessões (prática e teórica).     


35. Tem prestado a sua colaboração em inúmeros Colóquios, cujo tema principal é a arbitragem do futebol.

36. Participou, ainda, desde 1989, em diversos Encontros Nacionais de Núcleos de Árbitros de Futebol em Portugal.

ACTIVIDADE DESENVOLVIDA NA APAF

1979 – Membro da sua Comissão Instaladora e seu sócio fundador (actualmente é o filiado nº 28). Exerceu o cargo de Tesoureiro no primeiro mandato (1979/1981).

1981 – Durante o segundo mandato (2 anos), desempenhou as funções de Secretário do Conselho Fiscal e Disciplinar.

1982 – Com a criação do jornal O ÁRBITRO inicia a cooperação contínua e graciosa na elaboração de textos, fotos e todo o expediente relacionado com a sua administração.

1983 – No terceiro mandato foi o Primeiro Secretário da Direcção, lugar que antecedeu o cargo de Secretário-Geral, função que ocupou desde 18/7/1983 a 23/2/2006.

1995 – Passa a exercer a sua actividade profissional na APAF, em exclusividade (Chefe de Serviços), a partir de Novembro.

1998 – Principal colaborador na execução do protocolo celebrado com a ACREDITAR-Associação de Pais e Amigos das Crianças com Cancro, acompanhando os jovens a assistirem aos jogos de futebol da 1ª Liga.

1999 – Presta colaboração gratuita, de forma permanente e efectiva, ao sítio da APAF, criado em 3 de Maio, com entrevistas, fotos e redacção de acontecimentos e informações.

2001 – Inicia a colaboração activa e participativa na organização dos Encontros Nacionais do Árbitro Jovem.

2004 – Idealiza, projecta, elabora, promove e procede à pesquisa de todo o conteúdo da revista dos 25 anos de existência da APAF, totalmente da sua autoria.

2007 – Termina, em 31 de Março, o seu vínculo profissional com a APAF.

OUTRAS FUNÇÕES E ACTIVIDADES

- Foi Dirigente do Núcleo de Confraternização dos Árbitros de Futebol de Lisboa (anos 70).

- De 7 de Outubro de 1982 a 8 de Junho de 1983 exerceu o cargo de vogal da Direcção do Fundo de Auxílio de Arbitragem, obra social instituída pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol.

- Em 13 de Julho de 1985 frequentou o Curso de Socorrismo aplicado ao Desporto, promovido pelo Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa e ministrado pela Cruz Vermelha Portuguesa, obtendo a classificação de Muito Bom. Os ensinamentos adquiridos foram importantes em inúmeras situações vividas na sua carreira de Árbitro e no dia-a-dia.

- Defende, desde há muito, a efectiva profissionalização dos Árbitros e Árbitros Assistentes, conforme entrevista publicada no Boletim Off-Side, órgão do Núcleo de Árbitros de Futebol Américo Barradas (Lisboa), referente ao mês de Fevereiro de 1994, edição nº 9.

- Membro da Comissão de Reformulação dos Quadros Competitivos Seniores, criada no seio da Federação Portuguesa de Futebol, que vigorou entre Novembro de 2000 e Março de 2001.

- Em 30 de Março de 2002, participou, localmente, na Comissão de Redacção dos Estatutos da Associação de Árbitros de Futebol de São Tomé e Príncipe.

- Membro da Comissão de Coordenação do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, para o período de 2002/2005.

- Indigitado membro da Direcção Técnica Nacional - Órgão de Consulta da Federação Portuguesa de Futebol - não tomando posse do cargo (em 9/3/2006), devido à sua não continuidade nas funções de Secretário-Geral da APAF.

- Foi o associado 1792 do CNID-Associação dos Jornalistas de Desporto.

- Consultor da Comissão Organizadora do XIX Encontro Nacional de Núcleos-2007, evento promovido pelo Núcleo de Árbitros de Futebol da Póvoa de Santa Iria.

- Em 26 de Julho de 2007, tomou posse do cargo de Vice-Presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa, aceitando, assim, o convite formulado pela Direcção da Associação. Por incompatibilidade manifesta com o Presidente do CA demitiu-se em 2 de Janeiro de 2008. Neste período dedicou mais de 600 horas, sempre em benefício da causa da arbitragem. Foi o criador do Historial do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa (único em Portugal), que inclui as seguintes rubricas: Mandatos dos seus Dirigentes, iniciado em 1974; Patronos dos Cursos de Candidatos, desde 1976; Distinções a Árbitros, Sócios Honorários e de Mérito, desde 1987 e Prémios de Mérito e Prestígio, desde 2002.

- Director do Curso de Candidatos a Árbitro Carlos Matos, levado a efeito pelo Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Lisboa.

- No decorrer da época 2006/2007, como tributo ao futebol e a todos aqueles que contribuíram para a sua formação cívica e desportiva, (dirigentes, jogadores, treinadores, médicos, massagistas, jornalistas, colegas Árbitros, e demais Amigos), pela verdade, lealdade, seriedade, transparência, dignidade, solidariedade, desportivismo, prestígio e valorização da modalidade, assiste, nos Distritos e Regiões Autónomas, a jogos dos principais campeonatos de seniores das respectivas Associações, conforme se passa a referir (entre parêntesis a constituição das equipas de arbitragem):

Algarve, em 9.12.2006, no jogo Sambrasense-Boliqueime
(Ricardo Jorge Fernandes Glória, Carlos Eduardo Fortes Cabral e Luís Filipe Alves Morgado)

Angra do Heroísmo, em 17.12.2006, no jogo Lajense-Ribeirinha
(Francisco Hilário Homem Lima, Luciano António Ferreira Rocha e Paulo Jorge Pereira Santo)

Aveiro, em 12.11.2006, no jogo Arouca-Cesarense
(António Sebastião Moreira Rodrigues, Domingos Carvalho da Silva e Rui Manuel Ferreira Alves)

Beja, em 1.11.2006, no jogo Ferreirense-São Marcos
(Filipe Manuel Coimbra Aurélio, António Manuel Álvaro Coimbra e João Fernando Garcia Silveira Barbeiro)

Braga, em 23.09.2006, no jogo Fragoso-Águias da Graça
(Joaquim Pedro Fernandes Alves, Gaspar Miguel Silva Fernandes e Pedro Daniel Ribeiro Fernandes)

Bragança, em 8.10.2006, no jogo Mogadourense-Rebordelo
(Nelson Manuel Alves Ramos, João Manuel Gomes e Ricardo Alberto Sarmento Morais)

Castelo Branco, em 5.11.2006, no jogo Fundão-Águias de Moradal
(Márcio Sebastião Martinho Lopes, Cláudio Alves Santos e Henrique António Cardoso Martins)

Coimbra, em 20.11.2006, no jogo Lousanense-Tabuense
(Bruno Tiago Oliveira Pinto Nunes, Filipe André Santos Rainha e Joel Filipe Cunha Lemos)

Évora, em 1.10.2006, no jogo Torre de Coelheiros-Bencatelense
(João Miguel Cordeiro Geadas Letras, Fernando Jorge Oliveira e José Manuel Saramago Gonçalves Coimbra)

Guarda, em 22.10.2006, no jogo Figueirense-Fornos de Algodres
(Hugo Miguel Monteiro Geraldes, Norberto Augusto Alves e Vítor Manuel Adónis Melo Robalo)

Horta, em 10.12.2006, no jogo Flamengos-Feiteira
(João Inácio Pereira Ávila, Nuno Filipe Goulart Silveira e Luís Manuel Borges)

Leiria, em 26.11.2006, no jogo Figueiró dos Vinhos-União da Serra
(Hugo Miguel Vala Pires, Flávio Manuel Pereira Ferreira e Rui Jorge Galhardo Fontes Figueiredo)

Lisboa, em 10.09.2006, no jogo Tires-Futebol Benfica.
(Martinho Luís Félix Rodrigues, Frederico Gomes Lourenço e Hugo António Lopes Nobre)

Madeira, em 7.01.2007, no jogo Santacruzense-1º de Maio
(Nicodemo Balona Gouveia Câmara, José Manuel Teixeira Dias e Marco Bruno Santos Ferreira)

Ponta Delgada, em 14.01.2007, no jogo Águia-Mira Mar
(Duarte Vicente Almeida Travassos, André Filipe Gravito Cunha e Paulo Filipe Melo Medeiros)

Portalegre, em 19.11.2006, no jogo Fronteira-Estrela de Portalegre
(Sérgio Manuel Semedo Pita, José Duarte Pereira e Carlos Manuel Moedas Narciso Espadinha)

Porto, em 29.10.2006, no jogo Progresso-Gulpilhares
(Jorge Manuel Gomes Silva, Célio Luís Marques Eusébio e Nuno Filipe Correia Costa)

Santarém, em 5.10.2006, no jogo Alcanenense-Goleganense
(Filipe Miguel Rodrigues Lascas, Ricardo Alexandre Rodrigues Marques e Sandro Coelho Antunes)

Setúbal, em 24.09.2006, no jogo Trafaria-Marítimo Rosarense
(António Fernando da Costa Nunes Alves, Luís Filipe Ceia Almeida e Mauro André da Cunha Santos)

Viana do Castelo, em 30.10.2006, no jogo Monção-Valenciano
(Emanuel Geraldo Fernandes Dantas Rocha, Emanuel Dias da Silva e Leandro Nascimento Gonçalves Barbosa)

Vila Real, em 3.12.2006, no jogo Santa Marta Penaguião-Régua
(Vítor Manuel Oliveira Silva, Rui Daniel Castelheiro Rebelo e Tiago Oliveira Faustino)

Viseu, em 1.12.2006, no jogo Paivense-Lamelas
(Luís Fernando Caetano Ribeiro, João Fernando Marques Gomes e Carlos Eduardo Gonçalves Teixeira).

Nota: Como registo, refira-se que, para concretizar este projecto, foram percorridos 20.621 Kms., em 315 horas.

IMPORTANTE: Depois de ter terminado esta iniciativa e com o mesmo propósito, irá prestar a sua homenagem aos países e às suas gentes que têm a língua portuguesa como idioma principal, assistindo localmente a um jogo da sua selecção nacional. A sua presença já se verificou em:

ANGOLA: de 16 a 25 de Março de 2007.

Dado que a data inicialmente considerada para a realização do encontro que contava para o CAN (Campeonato Africano das Nações) 2008, entre as equipas de Angola e da Eritreia, era o dia 24.3, foi de todo impossível assistir a este jogo, face a condicionalismos diversos. Contudo, presenciou os seguintes:

17.3.2007 – Clube Desp. 1º de Agosto, 1-Atlético Sport Aviação, 2 (Girabola)
18.3.2007 – Petro Luanda, 2-Young Africans (Tanzânia), 0 (Champions CAF)
18.3.2007 - Inter Clube, 0-Mwana Africa (Zimbabwe), 0 (Cup CAF)
20.3.2007 – Sport Luanda Benfica, 0-Estrela Clube 1º de Maio, 0 (Girabola)
22.3.2007 – Selecção de Angola, 2-Atlético Sport Aviação, 0 (Preparação)

(Nesta deslocação foram percorridos 11.790 quilómetros. Tempo utilizado: 232 horas).

BRASIL: de 26 de Março a 1 de Abril de 2008

Face à excelente oportunidade de estar com o máximo dos representantes dos Árbitros de todos os Estados do Brasil e ter sido convidado para o XXVII Congresso das Entidades e dos Árbitros, organizado pela ANAF-Associação Nacional dos Árbitros de Futebol com a parceria do SAFERGS-Sindicato dos Árbitros de Futebol do Rio Grande do Sul, participou na referida reunião magna em Porto Alegre. Assistiu também, em Pelotas, ao jogo:

30.3.2008 - ULBRA-INTERNACIONAL, com a vitória deste último por 4-1

(Nesta deslocação foram percorridos 17.881 quilómetros e o tempo utilizado foi de 140 horas).

CABO VERDE: de 31 de Maio a 4 de Junho de 2007.

Assiste, na Cidade da Praia (Cabo Verde) ao jogo das selecções de Cabo Verde e da Argélia (CAN-2007), cujo resultado final foi um empate a 2 golos.

(Nesta deslocação foram percorridos 6.350 quilómetros. Tempo utilizado: 195 horas).

GUINÉ-BISSAU: de 16 a 20 de Novembro de 2007.

Presencia no Estádio 24 de Setembro, na capital do país, ao encontro entre as selecções da Guiné-Bissau e da Serra Leoa, que terminou empatado (0-0). Contava para a eliminatória do mundial 2010-África do Sul.

(Nesta deslocação foram percorridos 6.608 quilómetros. Tempo utilizado: 97 horas).

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE: de 8 a 15 de Novembro de 2011.

Assiste, no dia 11 de Novembro, no Estádio Nacional 12 de Julho (onde jogou futebol nos anos de 1964 a 1966), à partida entre as selecções santomense e do Congo (Brazzaville), cujo resultado foi favorável aos visitantes por 5-0. Jogo referente à eliminatória africana para o mundial 2014-Brasil.

(Nesta deslocação foram percorridos 9.136 quilómetros. Tempo utilizado: 184 horas).

Para completar este projecto, ficam a faltar as deslocações aos seguintes países:

MOÇAMBIQUE

TIMOR-LESTE

Em Fevereiro de 2009 é o coordenador do Grupo de Apoio à Candidatura de Luís Guilherme à presidência da APAF (mandato 2009/2011).

Em 2010, no livro “100 anos de futebol”, editado pela centenária Associação de Futebol de Lisboa, colaborou na parte inicial do historial da arbitragem, apresentando elementos relacionados com a primeira reunião organizada do sector, a qual se verificou em 18 de Outubro de 1910.

No dia 14 de Abril de 2010 tomou posse do cargo de Secretário do Conselho Deontológico da CAJAP-Confederação das Associações de Juízes e Árbitros de Portugal, cujo mandato terminará em 2012.

12 de Setembro de 2011 é eleito segundo Delegado efectivo, representante do sector de arbitragem do futebol Distrital, à Assembleia-geral da Federação Portuguesa de Futebol, pela lista A, que recolheu 190 votos (53,1%) de 358 votantes. Aquele agrupamento era composto em 12.09.2011, segundo dados federativos, por 5.077 filiados (89,6%) num universo de 5.663 inscritos em todas as variantes e categorias.

Em 1 de Outubro de 2011, na sede da Federação Portuguesa de Futebol, assina o respectivo auto de posse como Delegado à Assembleia-geral da Federação Portuguesa de Futebol, eleito pelo grupo de Árbitros distritais e equiparados, num total de 5.077 eleitores, obtendo, assim como o seu parceiro, Joaquim Jesus, 55,37% dos votos entrados nas 22 urnas distritais, em número de 191.

Em 26 de Junho de 2012, sugeriu à Associação de Futebol de Lisboa a comemoração do centenário da participação do primeiro grupo português que, em 1913, actuou além fronteiras (Brasil). Esta celebração infelizmente não veio a acontecer.

Em Julho de 2012, depois de ter sugerido a ideia, é encarregue pela CAJAP-Confederação das Associações de Juízes e Árbitros de Portugal de promover os primeiros contactos com responsáveis da área de arbitragem da CPLP-Comunidade dos Países de Língua Portuguesa na expectativa de se levar a efeito, como já o fazem os Treinadores, o Congresso dos Árbitros no seio desta organização.

A Associação de Árbitros de Futebol de Angola em 15 de Janeiro de 2013 atribuiu-lhe o título de "Padrinho", para poder contar com o seu apoio e experiência em termos de relacionamento com entidades e personalidades, incluindo participação em eventos e demais iniciativas que venham a realizar-se no país ou no seu exterior.

Em 24 de Março de 2013, tem uma pequeníssima intervenção no filme “Benfica, 4-Torino, 3”, exibido no Cinema São Jorge, que documenta a tragédia que ocorreu em 4 de Maio de 1949, quando a equipa italiana regressava a casa e o avião em que seguia caiu em Superga, ocasionando a morte de toda a comitiva que se tinha deslocado a Lisboa, onde participou na festa de homenagem a Francisco Ferreira, capitão da equipa encarnada.

Em 8 de Agosto de 2013, face ao convite que lhe foi formulado decidiu aceitar o cargo de Director do Museu da centenária Associação de Futebol de Lisboa, função que irá desempenhar a título gracioso. Esta sua colaboração foi certificada através do Comunicado Oficial nº 70, de 15 de Janeiro de 2014.

Em 31 de Outubro de 2013 a solicitação do Núcleo de Árbitros de Futebol Brandoa/Amadora fará acompanhamento das prestações dos jovens Árbitros, elaborando relatório dos seus desempenhos, destacando o que for necessário melhorar.
Em 26 de Abril de 2014, assistiu, como convidado da Federação Santomense de Futebol, ao jogo final da Supertaça António Aguiar, disputado no Estádio 12 de Julho, em São Tomé, entre as equipas principais do Sporting da Praia da Cruz e da UDRA-União Desportivo Rei Amador, de São João dos Angolares, o qual, no tempo normal, terminou empatado (1-1). No apuramento, nos pontapés a partir da marca de grande penalidade, os primeiros conquistaram o troféu.

Em 16 de Agosto de 2014 participou no 8º Estágio para Árbitros promovido pelo Núcleo de Árbitros de Futebol da Linha de Sintra, realizado em Seia, apresentando o trabalho "Atitudes no rectângulo de jogo (imagens eloquentes, mas sempre pedagógicas)".


REPRESENTAÇÕES

- Para além da sua presença, desde 1979, em inúmeros Cursos de Actualização, levados a efeito pela Federação, Associações Distritais ou Liga de Clubes, e durante os anos que exerceu o cargo de Secretário-Geral, também esteve em representação da APAF, para além dos países já mencionados, em:

BÉLGICA (Bruxelas) – Em 28 de Junho de 1998, no jogo Portugal-França, para o Euro-2000 (a convite da FPF).

HUNGRIA (Gyor) – Em 28 de Janeiro de 2004, no funeral do atleta do Sport Lisboa e Benfica, Miklos Fehér (a convite do SLB).

LUXEMBURGO (Capital) – Em 30 de Março de 2005, na comemoração dos 25 amos da fundação do CASA-Centro de Apoio Social e Associativo, tendo-lhe sido atribuído o Cartão Honorário.

RÚSSIA (Moscovo) – Em 6 e 7 de Setembro de 2005, nos jogos com a Rússia (Sub-21 e AA), para o Mundial 2006 (a convite da FPF).

Como Delegado da Assembleia-geral da Federação Portuguesa de Futebol eleito esteve na:

POLÓNIA (Varsóvia) - Em 21 de Junho de 2012 a assistir ao jogo dos quartos-de-final do Euro-2012, entre as selecções de Portugal e da República Checa.

CURIOSIDADES:

-Em 13 de Janeiro de 1952 (!), assistiu, ao vivo e apenas com 9 anos de idade, ao jogo Belenenses-Estoril, realizado no Estádio das Salésias (Lisboa), que contava para o Campeonato Nacional da 1ª Divisão, onde se estreou na 1ª categoria nacional o Mestre Joaquim Campos (A.F.Lisboa), que veio a ostentar, durante 21 épocas, a insígnia de Árbitro FIFA!

-De 15 de Janeiro de 2014 a 31 de Maio de 2016, exerceu as funções de Diretor do Museu da Associação de Futebol de Lisboa.

Como
BLOGUISTA - Actividade diária iniciada em Agosto de 2007, onde a construção do historial da arbitragem portuguesa mereceu tratamento prioritário. Eis os trabalhos já divulgados na net:

1. As listas de todos os agentes da arbitragem portuguesa que atingiram a internacionalização, casos dos Árbitros de Futebol (actividade iniciada em 1914/1915), dos Árbitros Assistentes (1992), dos Árbitros de Futsal (1996), das Árbitras de Futebol (2004), dos Árbitros de Futebol de Praia (2005), da Árbitra de Futsal (2010) e das Árbitras Assistentes (2013), todos eles com as suas fotos.

2. Os Árbitros das finais do Campeonato de Portugal, prova que se realizou entre 1922 a 1938.

3. A retrospectiva dos campeonatos do mundo desde o seu início, quer da competição masculina (começou em 1930) quer feminina (a partir de 1991).

4. A constituição das equipas de arbitragem que dirigiram os jogos das finais da Taça de Portugal, competição que se iniciou em 1939, com os nomes de todos os colegas auxiliares e, ultimamente, dos quartos árbitros e Árbitros jovens.

5. Os Árbitros portugueses nas fases finais dos Mundiais (de 1950 em diante) e dos Europeus (1968).

6. O ranking dos melhores dez agentes da 1ª categoria nacional: Árbitros (desde 1974/75), Assistentes (1991/1992) e Observadores (1999/2000), assim como das Árbitras (2002/2003), dos Árbitros de Futsal (1995/1996) e respectivos Observadores (2001/2002).

7. Todas as equipas de arbitragem que dirigiram os jogos da Supertaça Cândido Oliveira, prova iniciada em 1979, com nomes e fotografias dos seus elementos.

8. A lista de dados dos 209 países filiados na FIFA, que identifica a sua superfície territorial e população existente, nome original da Federação, ano da sua fundação e quando aderiu à FIFA, número de jogadores e clubes inscritos, posição no ranking, página na net e endereço electrónico.

COLECCIONISMO



INSÍGNIAS FIFA

1. Procedeu, em dois anos, à coleção inédita e universal de insígnias FIFA (originais) de todos os seus agentes da arbitragem, até 2016, num total de 143 emblemas, todos originais, cujos exemplares ofertou, em 19 de Setembro de 2016, ao Museu da CBF-Confederação Brasileira de Futebol. Eis o resumo da colectânea:
Árbitros de Futebol, desde 1950, 31 exemplares.
Árbitros Assistentes, desde 1992, 25.
Árbitras de Futebol, desde 1995, 22.
Árbitras Assistentes, desde 1995, 22.
Árbitros de Futsal, desde 1996, 21.
Árbitras de Futsal, desde 2007, 10.
Árbitros de Futebol de Praia, desde 2005, 12
2. Também entregou outros diversos emblemas, num total de 16.
3. A totalidade de emblemas recebidos de 97 dadores de 16 países atingiu os 520.
4. Ofereceu a Jorge Lamas (Minde), em 8 de Outubro de 2016, 279 emblemas.
5. A Wilsom Chequé, de São Tomé e Príncipe devolveu, em 11 de Outubro de 2016, os 12 emblemas que tinha entregue em devido tempo.
6. À Sportsalvalade (Mário Real), em 26 de Outubro de 2016, 70 para oferecer aos seus clientes.

FIFA REFEREEING
1. Esta coleção, editada anualmente pela FIFA, desde 1950, com os nomes dos internacionais de todo o mundo, também foi oferecida ao Museu da CBF-Confederação Brasileira de Futebol (19.09.2016).
2. É constituída por 89 volumes, 7.333 páginas, 100.725 internacionais, e com o peso de 12 quilos. 
-------------------------

Contactos:

Residência: Rua Ary dos Santos, 1-4º andar, letra A
Código Postal: 1500-062 LISBOA - PORTUGAL
Telefone: 217 601 155
Telemóvel: 913 671 154
E-mail: alberto.helder@netcabo.pt ou alberto.helder@gmail.com
Blog: http://www.albertohelder.blogspot.com/
Facebook: http://www.facebook.com/#!/ALBERTO.HELDER