segunda-feira, 16 de Novembro de 2009

CÂNDIDO TAVARES – UM BOM HOMEM, UM BOM DESPORTISTA!...


Foi um privilégio ter conhecido este fantástico camarada de armas em São Tomé e Príncipe, quando cumpri serviço militar obrigatório, isto na segunda metade do ano de 1964. Cândido Coelho Tavares, casapiano e primeiro-sargento do Exército Português, nasceu no Seixal (Setúbal), em 30 de Dezembro de 1911 e veio a falecer em 18 de Junho de 1997. O seu corpo está depositado no Cemitério do Seixal. Uma pessoa que muito me marcou pela sua maneira de ser e estar, solidário e de coração aberto, sempre com voz pausada, clara e elucidativa, conversador emérito e ouvinte especialíssimo, virtudes que demonstrava, na sua lhaneza, em todos os seus actos fosse com quem fosse, desde as pessoas mais simplórias até aos mais diplomados.
Então com os africanos, especialmente com os naturais de fora de São Tomé e Príncipe, principalmente os que não possuíam documentos – entraram de forma ilegal naquele território à procura de trabalho – tinha uma imensa paciência, deslumbrante e cativante, sempre com a solução a contento de quem tanto precisava de regressar à sua terra natal. Enfim, que adjectivos se podem dizer de alguém que tratava o seu semelhante com dignidade, aprumo e respeito? A-propósito, quis o Comando Militar de então louvá-lo e, na Ordem de Serviço 274, de 17 de Dezembro de 1965, expressa o seguinte texto:
Que, louva o primeiro-sargento do QSSGE (Quadro Sargentos Serviço Geral Exército), CÂNDIDO COELHO TAVARES, desempenhando há cerca de dois anos as funções de Amanuense da 1ª Repartição deste Comando Territorial Independente, especialmente na fase incipiente na sua organização e particularmente nos serviços do RDM (Regulamento de Disciplina Militar) adstrito, suportou sempre um trabalho intenso, havendo-se com excepcional aprumo militar, ponderação, zelo, honestidade e prontidão nos múltiplos serviços de que tem sido encarregado. Muito ordenado nos serviços a seu cargo, manifestou constantemente no contacto cotidiano com os assuntos do pessoal, apurado espírito de justiça, isenção, especial cuidado e humanidade no processo de normalização da situação militar, muitas vezes bastante confusa, não só dos nativos como dos oriundos de outras Províncias, a todos atendendo com o melhor interesse e orientando do modo mais conveniente. O seu empenho de bem cumprir, o seu porte disciplinado, franco e leal, a sua correcção de maneiras e de trato, completam em si um conjunto de qualidades que o impuzeram á estima geral e o tornam exemplo a apontar a todos os seus camaradas e inferiores". Na actividade desportiva, como já referi neste blogue, participou como Árbitro no Campeonato Militar de Futebol de 1965, dirigindo 6 jogos. Mas o seu passado, o seu currículo é simplesmente impressionante, senão vejamos o que praticou e quem representou: COMO ESGRIMISTA
A Fédération Internationale d’Escrime, sedeada na Bélgica, emitiu em Setembro de 1920, a licença de praticante Internacional Amador. São Miguel (Açores), 1943COMO JOGADOR DE BASQUETEBOL
1931/32 – Lusitano Ginásio Clube, de Évora. COMO JOGADOR DE FUTEBOL (GUARDA-REDES)
1931 – Casa Pia Atlético Clube
1932 a 1934 – Lusitano Ginásio Clube
1934/35 – Casa Pia Atlético Clube
1934/37 – Sport Lisboa e Benfica
1938/39 – Casa Pia Atlético Clube
1941/42 – Clube União Sportiva, São Miguel (Açores)
COMO TREINADOR E PREPARADOR FÍSICO
1952 – Sport Lisboa e Benfica, Adjunto e Principal, tendo, nesta função, ganho uma Taça de Portugal ao Sporting e logo por 5-4!
1953/54 – Vitória Sport Clube, de Guimarães.
1954/55 – Lusitano Ginásio Clube
1954/56 – Federação Portuguesa de Futebol
1956 – Sport Clube União Torriense
1957/58 – Grupo Desportivo da Companhia União Fabril.
Treinou ainda o Marrazes Sport Club (Distrito Leiria). Também colaborou com o jornal “Diário Popular” na época 1947/48. Equipa que conquistou o troféu Futebol Clube do PortoMais recentemente a Câmara Municipal do Seixal, ao dar o devido destaque a um dos seus mais lídimos filhos quis que o seu nome ficasse perpetuado na Cidade atribuindo-lhe um arruamento na zona nova e nobre, bem perto do Centro de Estágio do Sport Lisboa e Benfica! Pena foi que o Estado português nunca o tenha distinguido, como merecia, face à sua longa e brilhante carreira desportiva. Coisas… Vencedores da Taça de PortugalNOTAS: 1. Este trabalho teve a preciosa colaboração de Irlando Costa Tavares, seu sobrinho, a quem estou reconhecido.
2. Desde Agosto que aguardo da Câmara Municipal do Seixal resposta quanto a saber se Cândido Tavares foi agraciado com medalha de honra apropriada à sua grandeza de carácter, de honrado cidadão e desportista ímpar!
Com José Águas, goleador do Benfica


Vitória Sport Club

14 comentários:

Irlando disse...

Caro Alberto Helder.
Felicito-o pelo seu espírito de camaradagem e amizade que mostra, ao reconhecer em Cândido Tavares,um exemplo de homem e de desportista.
Não tem que agradecer a minha colaboração,eu é que agradeço,ter-me dado a possibilidade,de algum modo,
ter podido contribuir,para o seu magnífico trabalho.
Um abraço

Valdemar disse...

Obrigado, A. Helder.
Proporcionou-me alguns momentos de "lembrança" de um Homem que muito considerava, não apenas por ser vizinho, mas também pela sua grande educação e correcção, por todos reconhecidas.
Mais do que justa a homenagem da C.M.Seixal, (na minha opinião, peca por defeito).

Um abraço.

Helena disse...

boa tarde!

queria confirmar o ano de 52, da foto em que Cândido Tavares posa com o meu (futuro) pai José Águas - tenho-a cá em casa mas não sabia de quem se tratava nem de que ano era!

é possível saber em que campo foi tirada a foto?

obrigada e muitos parabéns pelo trabalho
Helena Águas

Helena disse...

fico aguardando resposta :)

ALBERTO HELDER disse...

Cara Amiga
Foi na Hemeroteca Municipal de Lisboa - Prémio MEL 2008 - que consegui pesquisar elementos para situar a data da foto do Mestre Cândido Tavares com o grande jogador José Águas. Apurei que no dia 15 de Abril de 1951, na Covilhã, realizou-se a segunda-mão dos oitavos de final da Taça de Portugal entre o Sporting local e o Benfica, e o Águas jogou. Quanto ao resultado verificou-se um surpreendente 5-5! Já agora direi que na primeira-mão (25 de Março de 1951) o Benfica venceu por 4-1. Cândido Tavares era o Adjunto do Treinador principal do Sport Lisboa e Benfica, Ted Smith. Saudações Alberto Helder

Helena disse...

muito obrigada!
aproveito a dica para espreitar o sítio da hemeroteca ;)

abraço até outra vez!

IDALINA NUNES disse...

Alberto obrigada por partilhar este artigo connosco.
Idalina Nunes

RUI CAETANO disse...

Um documento expecional de mais um Seixaleiro que fez história a isto tudo há a acrescentar o seu contributo ao movimento associativo da nossa terra obrigado...
RUI CAETANO

ELISABETE BELO disse...

Obrigado pela partilha, é sempre positivo conhecermos algo mais profundo sobre pessoas da nossa terra, e pelas melhores razões!
ELISABETE BELO

PORFÍRIO PEREIRA disse...

Tive o previlégio de lidar com o sr.Cândido Tavares em 2 situações a primeira era ele treinador da CUF eu e o sobrinho Adelino Tavares estudavamos no Barreiro e ás sextas feiras tinhamos um furo de 3 ou 4 horas nas aulas e era no estádio da CUF que passavamos o tempo. Outra foi já como treinador do Seixal,foi ele que me lançou na 1ª equipa. Pessoa extraordinaria
PORFÍRIO PEREIRA

CARLOS CASTANHO VICENTE disse...

Tive a honra e o privilegio de falar com ele, numa altura em que era guarda-redes do Casa Pia AC. Foi-me apresentado por outro grande Casapiano, que tambem treinou o Seixal FC, José do Carmo. Fez parte de uma geração de Casapianos que fizeram muito pelo futebol português. Fernando Vaz, Candido Tavares, Jose do Carmo. Da sua boca saiam palavras sábias e sensatas.
CARLOS CASTANHO VICENTE

REINALDO CLARO disse...

Um grande HOMEM e um ser Humano lindo, com uma FAMÍLIA de luxo.....sua companheira e esposa D. Portugalina, sempre altiva, mas com um coração de ouro, seus filhos, com a boa educação de seus pais, depois os netos...5 estrelas. Bons vizinhos e companheiros de uma vida. Bem Hajam.....
REINALDO CLARO

SÓNIA TAVARES disse...

Caro Sr. Hélder Alberto,

O meu nome é Sónia Tavares, neta de Cândido Coelho Tavares a quem o Sr. fez uma homenagem que muito nos honra através do seu blog.
Antes de mais peço desculpa por só agora me dirigir a si, mas nem sempre conseguimos controlar o nosso tempo e deixamo-nos controlar pela correria do dia a dia, deixando para trás as coisas verdadeiramente importantes.
Sei que em tempos o meu pai, também, Cândido Tavares, teve oportunidade de lhe agradecer a forma tão carinhosa como homenageou o meu avô.
Só para sua informação os dados que tem no seu blog quanto às datas de aniversário de nascimento e morte não estão correctos. O meu avô nasceu no dia 30 de Dezembro de 1911 e faleceu no dia 18 de Junho de 1997.
Relativamente às questões que colocou à minha amiga Idalina Nunes, a quem eu falei do seu blog, no que respeita à eventual cerimónia de inauguração da placa da rua com o nome do meu avô, se houve alguma cerimónia a família não foi informada.
No entanto, devo dizer-lhe que não foi nada que nos deixasse tristes.
É para nós muito mais gratificante sentirmos que todos aqueles de quem o meu avô fez de alguma maneira parte da sua vida, continuam a lembrá-lo com carinho, respeito, amizade e muita estima, como é o seu caso e de tantos outros que ao saberem que somos seus familiares nos falam dele com muita saudade. Para nós isso é muito mais importante do que qualquer homenagem formal. E tenho a certeza que para o meu avô também seria assim.
Permita-ma a liberdade de lhe enviar um beijinho, de me colocar ao seu dispor para alguma coisa que lhe possa ser útil e de lhe agradecer mais uma vez a sua amizade e estima pelo meu avô.

Sónia Tavares

ALBERTO HELDER disse...

Exmª Senhora

Sónia Tavares

Grato pela sua mensagem e pelas suas atenciosas palavras que muito me tocaram.

Na verdade o senhor seu avô, o meu bom e saudoso amigo, Cândido Coelho Tavares foi um bem para mim tê-lo conhecido numa excelente altura em que havia tempo para tudo. Mas, a sua maneira de estar, a sua sensibilidade, o seu humanismo, a solidariedade que sempre praticou, foram, como já o disse no blogue em 16.11.2009, valores que muito me marcaram desde então e que me acompanharam durante toda a minha vida. Um exemplo, um grande exemplo, para todos nós.

Agradeço a informação das datas, situação já rectificada.

Quanto à questão da atribuição do nome de Cândido Tavares a um arruamento do Seixal, gostaria de ter divulgado, naquele post, a proposta e os seus fundamentos, aprovada pela Câmara Municipal (ou Assembleia), mas tal não foi possível, pois na autarquia nunca me satisfizeram esta minha pretensão. E a tantas pessoas pedi (pessoal, telefónica e por meios electrónicos), incluindo duas deslocação feitas a-propósito ao Município. Estou a pensar agora que talvez a Junta de Freguesia do Seixal possa saber algo sobre o assunto. Vou proceder ao respectivo contacto.

Também estarei ao dispor para relatar ao pormenor a vivência que tive directamente com o senhor seu Avô naquelas que são as mais belas ilhas africanas, momentos inolvidáveis, sempre vincados pela diplomacia, sinceridade, altruísmo, respeito e amizade como a todos tratava, sem olhar à sua condição de africano ou europeu!

Saudações

Alberto Helder (e não Helder Alberto, como por lapso escreveu).